Conecte-se connosco

Autárquicas

CDU de Coimbra aponta “carência” em serviços municipais devido a salários “miseráveis”

Publicado

em

O cabeça de lista da CDU à Câmara de Coimbra, Francisco Queirós, assinalou hoje que a carência de pessoal mais especializado nos serviços municipais deve-se aos salários “miseráveis” oferecidos e exigiu a revogação da lei subjacente.

“Muitos dos serviços municipais têm carência de pessoal mais especializado, porque obviamente os salários oferecidos são miseráveis”, disse hoje à agência Lusa Francisco Queirós.

O atual vereador eleito exemplificou com os eletricistas e mecânicos de automóveis, entre outros, argumentando que, face aos baixos vencimentos, “as pessoas procuram no privado outro tipo de possibilidades para as suas vidas”.

Francisco Queirós referiu também que os motoristas dos Serviços Municipalizados de Transportes Urbanos de Coimbra (SMTUC) – nomeadamente aqueles que foram contratados depois da lei 12-A/2008, que entrou em vigor em 2009, no tempo do Governo de José Sócrates – são equiparados a assistentes operacionais e auferem “basicamente” o salário mínimo nacional.

“Os motoristas dos SMTUC que entraram depois dessa data [2009] são assistentes operacionais e ganham, basicamente, o salário mínimo nacional, o que é um completo absurdo. Ainda por cima quando têm alguns colegas ao lado, aqueles que entraram anteriormente, que têm vencimentos muito superiores. Não faz sentido nenhum que trabalhadores da mesma empresa, a fazerem o mesmo serviço, aufiram vencimentos diferentes. É completamente inadmissível que os motoristas dos SMTUC tenham os salários que têm e não tenham possibilidade de ter uma carreira”, argumentou Francisco Queirós.

“Esta lei, que de uma vez por todas devia ser revogada, condicionou estes trabalhadores em concreto e outros da administração pública local e central”, acrescentou o candidato da CDU.

Francisco Queirós deixou críticas a Manuel Machado, referindo que o socialista, presidente da Câmara de Coimbra e da Associação Nacional de Municípios Portugueses, “não fez a pressão que devia ter feito, junto do seu próprio partido e junto do Governo”, para que a lei – que só pode ser revogada pela Assembleia da República – fosse alterada.

Na manhã de hoje, o candidato da CDU ao município de Coimbra esteve no terminal rodoviário da cidade numa ação de “solidariedade” para com os motoristas da empresa Transdev, que estão em greve precisamente devido aos baixos salários, uma situação ao nível dos vencimentos “semelhante” à dos SMTUC, observou Francisco Queirós.

Nas eleições de domingo concorrem à Câmara Municipal de Coimbra o atual presidente, Manuel Machado (PS), José Manuel Silva (Juntos Somos Coimbra – PSD/CDS-PP/Nós, Cidadãos!/PPM/Volt/RIR /Aliança), Gouveia Monteiro (Cidadãos por Coimbra), Miguel Ângelo Marques (Chega), Filipe Reis (PAN), Inês Tafula (Coimbra é Capital – PDR/MPT), Francisco Queirós (CDU) e Tiago Meireles Ribeiro (Iniciativa Liberal).

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade