Cidade

CDU afirma que Aldi em Santa Clara é um paralelepípedo aberrante

Notícias de Coimbra | 7 anos atrás em 12-05-2017

A CDU promoveu hoje, sexta-feira, uma conferencia de imprensa para denunciar no “atentado ambiental e paisagístico” no espaço do supermercado ALDI,  em Santa Clara.

PUBLICIDADE

aldi coimbra

O vereador Francisco Queirós afirma que a construção deste ALDI é “um atentado ambiental e paisagístico” a escassas centenas de metros do Convento São Francisco, o “ex-libris deste mandato de Manuel Machado”.

PUBLICIDADE

Licenciar um supermercado ALDI nesta zona é uma coisa “aberrante, lamentável, uma cratera” lamenta Francisco Queirós.

Estamos perante uma “epidemia” enorme de aberturas de supermercados por esta cidade fora e que agrava ainda mais a saúde do comércio tradicional, denuncia o candidato da CDU à CMC, antes de considerar que Coimbra não precisa de mais superfícies comerciais com esta tipologia.

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE

publicidade

O comunista adianta ainda que pode estar em risco toda a envolvente ao empreendimento onde vai ser instalado o ALDI.

aldi santa clara

O deputado municipal Manuel Rocha que “o que está em causa aqui é um negocio imobiliário. Está-se a descascar uma encosta, para  abrir caminho, enfim, quando o  “paralelepípedo”, o deixar de fazer  sentido, fazer um venda a retalho de uma importante fatia da nossa cidade”.

Estamos em frente à “colina sagrada” (Universidade de Coimbra), lembra o candidato da CDU, antes de frisar que este negócio serve para fazer render “o gasto numa rotunda e num pedacito de estrada”.

Manuel Rocha fez questão de registar que a construção deste ALDI viabilizada pelo voto conjunto do movimento Cidadania Por Coimbra e Partido Socialista.

“O ALDI,  como se sabe, é uma prateleira. O ALDI não é sequer uma superfície comercial. É uma prateleira que aloja produtos de diversas marcas”, sustenta o deputado, que entende que o supermercado pode estar de passagem. É uma machadada nos privados, conclui.

aldi

O deputado municipal Paulo Coelho refere que este não é este o modelo que a CDU defende para a cidade. É mais uma multinacional que vem aqui buscar o seu dinheiro. Qual polvo que vem aqui alimentar-se para depois levar o dinheiro para fora. “Não queremos uma Coimbra de betão”, acescenta.

“Todas as actuais recomendação vão sentido  da reabilitação. Temos espaços na nossa cidade que podiam ser recuperados e que poderiam servir para alojar este espaço comercial, seme ncessiadade de criar este atentando que está aqui à vista”, lamenta Paulo Coelho.

O representante de Os Verdes na CDU aproveitou o momento para denunciar o que está a acontecer com a abertura de um parque de estacionamento entre a Avenida Fernão de Magalhães e a Rua Figueira da Foz, nas traseira do Hotel Tivoli.

 
Veja todas as declarações dos eleitos e candidatos da CDU

A cadeia de supermercados “hard-discount” ALDI recebeu luz verde para abrir esta loja na Avenida da Guarda Inglesa, junto à Rua Coelho da Rocha (entre o Convento de São Francisco e o Forum Coimbra) no dia 14 de março.

Na altura, em reunião da CMC, Francisco Queirós votou contra. Afirmou que não quer uma loja em cada esquina da cidade. Já Bingre do Amaral, do CPC, entendeu não ser desapropriado a abertura de uma loja de pequena ou média dimensão naquela zona.

Aquele gaveto é uma das zonas mais feias da zona, salientou Barbosa de Melo, que não quer um “supermercado suburbano” virado para a Avenida da Guarda Inglesa. Até o promotor entendia que não era razoável abrir naquele local, considera o eleito pelo PSD.

A mim, do ponto de vista pessoal, não me ofende, declarou Carlos Cidade, antes de insinuar que há algo escondido em relação às Construções Progresso de Coimbra, alegadamente da responsabilidade do anterior executivo.

a

A “aprovação” surge depois de uma “fuga de informação” verificada numa reunião do executivo municipal de Coimbra.

Partiu dos vereadores do PSD, que ficaram surpreendidos quando viram a proposta anexada a um pedido da empresa Construções Residenciais Progresso Coimbra, que veio junto do executivo para pedir uma isenção relativa a estacionamento.

Depois da habitual “conversa de mercearia”, situação e oposição optaram por não votar o projecto, que pelos vistos está englobado na área de protecção do Convento de São Francisco, pelo que o assunto voltou a ser discutido nesta reunião de 14 de março.

A ALDI Supermercados está presente em nove países europeus e tem várias lojas em Portugal, mas, a par do Intermarché, que abriu recentemente em Santa Clara, era uma das poucas insígnias da área alimentar que não tinha nenhum estabelecimento em Coimbra. Agora vai ter dois, pois abriu este mês na Quinta da Maia.

Recordamos que naquela parte da margem esquerda do Mondego já existe uma loja do Lidl, outra do Continente e uma terceira do Intermarché.

Curiosamente, antes desta aprovação, foi adjudicada a construção de uma rotunda na Guarda Inglesa,  que permite inverter o sentido de circulação na movimentada artéria, facilitando assim a entrada e saída a quem desejar ir ao…ALDI.

Lembramos que apesar do projecto ter, segundo Manuel Machado, “um erro de dactilografia”, foi aprovada com os votos favoráveis do PS e CPC. PSD e PCP votaram contra.

Related Images:

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE