Conecte-se connosco

Desporto

Catarina Costa ‘enrolada’ numa luta de ‘mata-mata’

Publicado

em

A judoca portuguesa Catarina Costa, que surgia nos Mundiais em Tashkent como candidata à luta pelas medalhas e foi eliminada hoje no primeiro combate, lamentou ter ficado condicionada com dois castigos na fase inicial do combate.

“Foi uma disputa de pegas. Tinha dois castigos [no prolongamento], não podia errar, percebi que ela [a alemã Katharina Menz] estava à procura do castigo, ela não queria que eu pegasse, e ela também não, para levarmos as duas castigos e aí eu perdia, e para não ir nesse jogo, tentei pegar, avancei ligeiramente, ela atacou, ainda esquivo a primeira e a segunda é no limite”, explicou Catarina Costa.

A judoca, vice-campeã europeia, apresentava-se em Tashkent como segunda favorita em -48 kg, atrás da campeã europeia Shirine Boukli – também eliminada -, mas diante da alemã Katharina Menz sentiu velhas dificuldades.

Catarina Costa não conseguiu desequilibrar a alemã e apesar de uma maior iniciativa de ataque, acabou por ser penalizada, com a árbitra a castigar a portuguesa com dois castigos, considerando falsos ataques, ainda a meio do combate.

Um fator que condicionou a judoca de Coimbra, sabendo que um terceiro ‘shido’ implicava a sua eliminação imediata.

“Era um ‘mata-mata’. Já tive a oportunidade de falar com o meu treinador no fim, o judo está diferente, o meu estilo de judo para as regras atuais tem que levar uma grande mudança, ataco muito de joelhos e ataques de sacrifício e sou extremamente penalizada por querer ganhar e querer atacar. Se calhar temos de mudar esse esquema e essa estratégia que sempre foi minha. Tenho de remodelar todo o meu judo para o adaptar às regras atuais”, admitiu.

A judoca defendeu que procurou atacar mais do que Menz, mas que no fim isso pouca importância teve, com ambas a chegarem ao ponto de ouro e a portuguesa a ter muito mais a perder, numa categoria em que a alemã acabaria por sagrar-se vice-campeã mundial.

No percurso, Menz acabou por efetuar seis combates – com Catarina Costa já era o segundo -, perdendo apenas na final com a japonesa Natsomi Tsunoda, que era a terceira favorita na competição, atrás de Boukli e da portuguesa.

Catarina Costa irá agora manter a corrida ao apuramento olímpico para Paris2024 e à luta por medalhas em grandes provas, competindo ainda este ano ainda num Grand Slam e no Masters, que fecha o circuito interacional de 2022.

Nos Mundiais de Tashkent, que decorrem até 13 de outubro, Rodrigo Lopes também foi hoje eliminado no primeiro combate de -60 kg, ficando a faltar a entrada em competição de Joana Diogo (-52 kg), Bárbara Timo (-63 kg), Rochele Nunes (+78 kg), João Fernando (-81 kg), Anri Egutidze (-90 kg) e o bicampeão mundial Jorge Fonseca (-100 kg).

por Rita Moura, enviada da agência Lusa

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com