Conecte-se connosco

Destaque

Casos raros de miocardite e pericardite levam DGS a travar vacinação dos 12 aos 15 anos

Publicado

em

DGS recomendou a vacinação entre os 12 e os 15 anos apenas aos jovens com doenças graves.

De acordo com a SIC Notícias, a Direção Geral da Saúde decidiu não recomendar a vacinação dos jovens entre os 12 e os 15 anos. Os peritos dizem que há efeitos secundários por estudar e preferem ser prudentes. Consideram que a vacina apenas deve ser dada a crianças com doenças que agravem os efeitos da covid.

Têm explicado aos mais jovens a importância da vacinação contra a covid.

Para já, só vale a pena abordarem os maiores de 18 – que já podem agendar a vacina – e também quem tem mais de 16 anos – que começa a ser vacinado no dia 14 de agosto. Os que têm entre 12 e 15 anos ficam, para já, de fora.

Decisão tomada depois de se terem verificado, em jovens, efeitos secundários, aparentemente ligados à vacina.

Graça Freitas diz que a EMA encontrou jovens que desenvolveram miocardite e pericardite. Uma inflamação no coração que, apesar de rara e ligeira, levou a DGS a rejeitar, para já, a vacina para quem tem entre 12 e 15 anos.

Um parecer que vale para o continente, mas não para a Madeira, onde esta faixa etária começa a ser vacinada este sábado. No continente, os jovens entre os 12 e os 15 anos só podem ser vacinados se tiverem doenças que o tornem de risco em caso de infeção por covid.

A task force tinha tudo preparado para vacinar antes do arranque do ano letivo. As reservas de vacinas atingiram mínimos e há mais de 1 milhão, vindas de outros países, a caminho de Portugal.

A DGS diz que muitos dos 410 mil adolescentes entre os 12 e os 15 anos já estiveram infetados e, por isso, ainda terão imunidade.

Apesar de não ser recomendada a vacinação, os maiores de 12 têm de fazer teste no acesso a restaurantes, hotéis e eventos.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com