Conecte-se connosco

Cinema

Casa do Cinema de Coimbra acolheu abertura do Festival Caminhos

Publicado

em

As exibições da seleção Filmes do Mundo começam hoje na Casa do Cinema de Coimbra no segundo dia do Festival Caminhos. São mais de 50 filmes em competição na secção principal do festival de cinema português Caminhos, em Coimbra, entre sábado e 20 de novembro, num ano em que a organização registou um elevado número de “títulos de qualidade”.

Ontem foi realizada uma cerimónia de abertura da edição deste ano que contou com a presença de , entre outros, os realizadores, membros do júri nas diversas categorias, atores, a diretora regional da Cultura, Susana Menezes, o presidente da União de Freguesias de Coimbra, João Francisco Campos, a representante da Entidade Regional do Turismo do Centro, Adriana Rodrigues e o coordenador do Festival Caminhos, Tiago Santos.

Na seleção Caminhos deste ano, regista-se “uma grande explosão de produções quer de documentário quer de ficção”, com a equipa a ter “uma grande dificuldade” em escolher os títulos, face à qualidade apresentada nas candidaturas à principal secção competitiva do festival, disse à agência Lusa Tiago Santos, membro da organização.

“Foi uma das seleções mais difíceis dos últimos anos”, acrescentou.

No festival, competem, entre outros, “A Metamorfose dos Pássaros”, de Catarina Vasconcelos, “Alcindo”, de Miguel Dores, “Chelas Nha Kau”, de Bataclan 1950 e Bagabaga Studios, “O Lobo Solitário”, de Filipe Melo, “Paraíso”, de Sérgio Tréfaut, ou “Visões do Império”, de Joana Pontes.

Com grande parte da programação dividida entre o Teatro Académico de Gil Vicente (TAGV) e a Casa do Cinema de Coimbra, o festival dedica também uma secção competitiva ao que se faz em contexto académico ou de formação, na Seleção de Ensaios, premiando obras portuguesas mas também internacionais.

Este ano, o festival cria também uma mostra do cinema feito nos países de língua oficial portuguesa, entre 07 e 12 de novembro, na Casa do Cinema de Coimbra, para dar uma “maior visibilidade” à produção cinematográfica lusófona, revelou Tiago Santos.

Já na Outros Olhares, seleção de cariz competitivo dedicada a obras de linguagem experimental, serão exibidas várias obras, com destaque para “Distopia”, de Tiago Afonso, que venceu recentemente na competição nacional do DocLisboa o prémio de melhor filme.

Pelo festival, haverá ainda “Turnos da Noite”, sessões dedicadas ao terror e “ao cinema explícito”, assim como uma sessão dedicada a filmes de diferentes pontos do mundo.

A cerimónia de encerramento do festival e entrega de prémios decorre no dia 20 de novembro, no TAGV, sendo precedida de um cine-concerto, em que o guitarrista Marcelo dos Reis acompanha a exibição do trecho sobrevivente de 26 minutos do filme “Três Dias sem Deus”, de Bárbara Virgínia, de 1946, que foi restaurado pela Cinemateca Portuguesa, salientou Tiago Santos.

Após o fim do festival, alguns dos filmes vencedores serão novamente exibidos.

Toda a programação do Caminhos está disponível em caminhos.info

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade