Conecte-se connosco

Saúde

Casa Aberta para pessoas com mais de 50 anos

Publicado

em

A modalidade de vacinação Casa Aberta está desde hoje disponível para pessoas com 50 ou mais anos que tenham o esquema vacinal primário contra a covid-19 há mais de cinco meses, informaram os Serviços Partilhados do Ministério da Saúde.

Em comunicado, informam também que se mantém a mesma modalidade de vacinação para pessoas com 30 anos ou mais e que foram vacinadas com a vacina da Janssen há 90 ou mais dias, sem necessidade de qualquer tipo de marcação ou contacto prévio.

Está também disponível a modalidade Casa Aberta mediante senha digital para grupos prioritários de vacinação, como magistrados e elementos do sistema judicial, estudantes dos cursos de saúde (mediante declaração do estabelecimento de ensino superior) e cidadãos das mesas de voto para as eleições legislativas de dia 30 e respetivos elementos auxiliares.

Grupos prioritários, diz-se no comunicado, são também os profissionais da PSP, GNR, Polícia Judiciária e Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), além da comunidade universitária (estrutura docente e apoio) e pessoas com comorbilidades, elegíveis para esta fase da vacinação, portadoras de declaração médica.

Os Serviços Partilhados do Ministério da Saúde lembram que para usufruírem do sistema de senha digital da modalidade Casa Aberta os utentes devem solicitar uma senha no dia em que pretenderem ser vacinados. No portal Covid-19 devem preencher um formulário. E no centro de vacinação, os utentes devem apresentar um documento comprovativo da profissão que exercem.

A covid-19 provocou pelo menos 5,57 milhões de mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 19.496 pessoas e foram contabilizados 2.118.125 casos de infeção, segundo a última atualização da Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China.

Uma nova variante, a Ómicron, classificada como preocupante e muito contagiosa pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi detetada na África Austral e, desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta em novembro, tornou-se dominante em todo o mundo.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link