Conecte-se connosco

Coimbra

Carlos Cortes quer ser um “bastonário de proximidade e de intervenção” (com vídeos)

Publicado

em

Carlos Cortes está na corrida para bastonário da Ordem dos Médicos. O presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM) apresentou, esta quarta-feira, a sua candidatura, no âmbito das eleições relativas ao triénio 2023/25, que terão lugar em janeiro de 2023.

“Quero fomentar a união dos médicos, independentemente das nossas diferenças. Estarei presente para ouvir, tomar atenção, dialogar. Serei um bastonário de proximidade e de intervenção”, frisou Carlos Cortes.

O momento de dificuldades e incertezas em que vivemos no setor da saúde e uma forte vontade de contribuir para unir os médicos e encontrar, em conjunto, as soluções que se impõem, ditaram a decisão do médico.

Para Carlos Cortes “um bastonário é muito mais do que um representante da sua classe, é um defensor da medicina e um provedor dos doentes”.

“Juntos pela Saúde” é o mote da candidatura que pretende unir médicos e agentes de saúde no sentido de encontrar “soluções concretas para os problemas que os poderes políticos não têm conseguido resolver”.

A classe médica “está a passar por um inverno demográfico” frisou, defendendo que “é imperativo cuidar da saúde mental e física dos profissionais de saúde, afetados pela exaustão e burnout, por isso tem de haver uma intervenção legislativa vigorosa para proteger contra a violência contra os médicos no local de trabalho”.

O candidato realça que “está mais do que provado que os hospitais, um pouco por todo o mundo, mais eficientes e mais lucrativos são aqueles cuja liderança é médica. Irei desenvolver na Ordem dos Médicos uma estrutura capaz de potenciar a criação de lideranças médicas de elevado nível, integrando os conhecimentos na medicina, na gestão, na humanização e na ética”.

O presidente da SRCOM refere que “é fundamental a modernização da Ordem dos Médicos e a aproximação aos médicos, aos seus problemas e aos doentes”, reforçando que é necessário “abrir a Ordem aos médicos e à sociedade civil.”

As propostas do médico incluem a criação de novos instrumentos de ligação dos centros de saúde aos hospitais para melhorar a articulação da rede dos cuidados de saúde primários e os cuidados hospitalares, que poderá ser desenvolvida através dos “gestores do doente”.

No âmbito da formação, Carlos Cortes assumiu o desejo de criar a Academia OM “como um centro de formação para todos os médicos nas mais diversas áreas”, centralizando todas as formações.

Na apresentação da sua candidatura contou com o apoio do atual bastonário Miguel Guimarães e do antigo bastonário José Manuel Silva, presidente da Câmara de Coimbra.

Através de videoconferência, recebeu também o apoio o médico Filipe Froes, coordenador do gabinete de crise covid-19 da OM.

Carlos Cortes nasceu em Lisboa em 1970, tendo concluído a licenciatura em Medicina em 1999 na Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra. É presidente do Conselho Regional do Centro da Ordem dos Médicos desde 2014, Director do Serviço de Patologia Clínica do Centro Hospitalar do Médio Tejo, EPE, desde 2011 e Médico Assistente Graduado Sénior de Patologia Clínica. Foi presidente do Conselho Nacional de Pós-Graduação da Ordem dos Médicos e é membro do Conselho Científico da revista científica da Ordem dos Médicos, a Acta Médica Portuguesa.

Para além de Carlos Cortes, de Coimbra, são também candidatos a bastonários Rui Nunes, do Porto, e Fausto Pinto, Jaime Branco e Bruno Maia, de Lisboa, nas eleições agendadas para janeiro de 2023.

Veja os diretos NDC:

 

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com