Conecte-se connosco

Lazer

Cantor de fado de Coimbra com 98 anos marcou 63.º aniversário da Associação dos Antigos Estudantes

Publicado

em

 As celebrações do 63º aniversário da Associação dos Antigos Estudantes de Coimbra (AAEC) tiveram como ponto alto a actuação do mais veterano dos intérpretes da canção coimbrã, o eng. Napoleão Amorim, com 98 anos, que encantou as muitas dezenas de participantes com a sua voz cristalina.

Foi a primeira vez que Napoleão Amorim cantou acompanhado por Simão Mota, um dos mais destacados guitarristas das novas gerações, e pela viola do veterano Humberto Matias. Daí que muitos tivessem considerado ter sido “um momento histórico” para a canção de Coimbra. Aliás, outros cantores que ali estiveram (como Heitor Lopes e Mário Rovira), optaram por não cantar, para não perturbar aquele “momento mágico” tão significativo, que antes, por causa da pandemia, teve de ser adiado por diversas vezes.

A par com a comemoração do aniversário da AAEC, foram também festejados os 94 anos de um dos seus mais entusiastas dirigentes, o Prof. Dr. Polybio Serra e Silva, Catedrático Jubilado da Fauldade de Medicina, antigo dirigente estudantil e um dos protagonistas da “Tomada da Bastilha II”, em 1954 (ousado gesto que esteve na origem da construção da actual sede da AAC e do Teatro Académico de Gil Vicente).

A festa decorreu no amplo terraço da sede da AAEC, em Coimbra, com cerca de uma centena de participantes, entre os quais o Vice-Reitor da Universidade de Coimbra, Prof. Dr. João Nuno Calvão da Silva, o Dux Veteranorum, Matias Correia, e o Vice-Presidente da AAC, Daniel Aragão.

Presente também o Presidente da Câmara Municipal de Mêda, Dr. João Mourato, que ofereceu à AAEC um álbum com as imagens da recente visita que a AAEC fez ao seu Município.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link