Conecte-se connosco

Região

Caminho Marítimo de Santiago apresentado na BTL com a presença da Ministra da Coesão Territorial

Publicado

em

A sessão nacional da Rota “Nautical Portugal”, com a presença da Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, marcou ontem o segundo dia do stand do Turismo do Centro na BTL – Bolsa de Turismo de Lisboa.

Esta sessão, de apresentação da rede das Estações Náuticas de Portugal, serviu também para anunciar a iniciativa “Caminho Marítimo de Santiago em Portugal”, além de ter sido assinada a certificação de mais quatro estações náuticas nacionais. O evento foi conduzido por António José Correia, coordenador da rede Estações Náuticas de Portugal.

O “Caminho Marítimo de Santiago em Portugal” pretende recriar, na costa portuguesa, a viagem da “Barca de Pedra” que, segundo reza a lenda, no ano 40 do primeiro milénio transportou o corpo do apóstolo São Tiago desde Jaffa, na Palestina, até Campus Stella (Compostela), na Galiza.

O objetivo, como explicou Paulo Cavaleiro, da empresa Upstream Portugal, é atrair à costa portuguesa os muitos adeptos do turismo náutico em todo o mundo, usufruindo das estações náuticas já criadas no nosso país. O arranque do projeto será feito com um evento promocional, o cruzeiro “Caminho Marítimo de Santiago”, que decorrerá entre 28 de maio e 13 de junho, num percurso entre Vila Real de Santo António e Padrón, na Galiza. Recorde-se que a região Centro de Portugal dispõe de oito estações náuticas certificadas: Aveiro, Estarreja, Ílhavo, Murtosa, Oeste, Ovar, Vagos e Castelo de Bode, as quais foram apresentadas noutro momento do programa de ontem.

A Rota “Nautical Portugal”, que já tem certificadas 29 estações náuticas no país, foi enaltecido pela ministra Ana Abrunhosa, no stand do Turismo do Centro. “A marca Nautical Portugal representa muito valor para o território e é um instrumento de coesão. É com muito apreço que vejo esta rede de estações náuticas crescer também para o interior. É assim que valorizarmos o que de melhor os nossos têm. Isto é coesão social e coesão territorial”, disse. Sublinhando o facto de que esta iniciativa está em linha com “a estratégia nacional de turismo” e com “a estratégia nacional para o mar”, Ana Abrunhosa elogiou ainda o “Caminho Marítimo de Santiago”, por ser “um exemplo de como podemos recuperar a História com modernidade”.

Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal, enalteceu o facto de a Fórum Oceano, promotora da rede Estações Náuticas de Portugal, ter escolhido o stand do Turismo do Centro para a apresentação da rede e destacou este produto turístico como exemplo “da estratégia de estruturação dos novos produtos turísticos que complementam a oferta de Portugal”, como “o turismo ativo e desportivo, o turismo cultural, a gastronomia e muitos outros, que apresentam uma componente muito forte no domínio da sustentabilidade, económica, ambiental e também social”.

Também presente na sessão, António Nogueira Leite, presidente da Fórum Oceano, realçou a importância para o país de a rede de estações náuticas estar a avançar para o interior e anunciou o objetivo de internacionalização e digitalização da rede.

Rita Marques, secretária de Estado do Turismo, enviou uma mensagem por vídeo, em que aplaudiu o facto de as Estações Náuticas de Portugal serem “um parceiro importante para a sustentabilidade da atividade turística, com a dinamização de territórios que careciam de infraestruturas”.

Teresa Ferreira, diretora no Turismo de Portugal, apresentou o Plano Turismo + Sustentável 20-23, um plano que contempla 119 ações e que visa promover Portugal como destino sustentável. A responsável elogiou o projeto das estações náuticas, por se inserirem nesta estratégia. Uma ideia complementada por Patrícia Araújo, CEO da Biosphere Portugal, organização que certifica os destinos e as empresas nacionais de que cumprem com as metas de sustentabilidade.

Esta sessão serviu também para formalizar a entrada na rede de mais quatro estações náuticas: as de Alijó, Lagos, Macedo de Cavaleiros e Vila Verde.

A rede Estações Náuticas de Portugal inclui 29 estações náuticas certificadas, estando outras em processo de certificação. Estas estações, marítimas ou fluviais, proporcionam atividades como canoagem, windsurf, vela, mergulho, passeios de barco, remo, stand up paddle ou surf.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com