Conecte-se connosco

Câmara de Penela lamenta exclusão do fundo de apoio

Publicado

em

A Câmara de Penela lamentou hoje que o concelho tenha sido excluído do fundo para apoio à revitalização das áreas afetadas pelos incêndios criado no Conselho de Ministros de quinta-feira.

Em comunicado, a autarquia manifesta a sua “incredulidade pelo facto de este mecanismo de apoio se destinar, exclusivamente, aos concelhos de Castanheira de Pera, Figueiró dos Vinhos e Pedrógão Grande”.

“Depois de resistirmos ao incêndio com um dispositivo muito reduzido, porque a grande maioria dos meios estavam afetos à frente de fogo que lavrava nos concelhos de Castanheira de Pera, Figueiró dos Vinhos e Pedrógão Grande, somos (agora) confrontados com a aberrante decisão do Governo de proceder à gestão de donativos solidários apenas para algumas pessoas”, critica.

Segundo a autarquia, infelizmente também há em Penela “aldeias e pessoas muito afetadas com este incêndio” e “apenas pela extraordinária abnegação e bravura dos bombeiros os prejuízos não foram maiores”.

“É difícil acreditar em tamanha insensibilidade e indiferença e que o sofrimento e angústia de alguns portugueses sejam ignorados”, sublinha.

Ainda que possa admitir “dificuldades e descoordenação na gestão do risco e no planeamento ao combate deste incêndio”, a autarquia considera “incompreensível, seja pela insensibilidade, seja pela pressão do circo mediático” que, mais uma vez, o concelho de Penela seja esquecido.

“Não pedimos nada para a Câmara Municipal, mas apenas que aqueles que perderam os seus bens não sejam prejudicados por terem escolhido viver, trabalhar ou investir no concelho de Penela. Para que à cicatriz do fogo não seja acrescentada um golpe na esperança e confiança no Estado que trata os portugueses de forma diferente”, acrescenta.

No seu entender, o “enorme esforço nacional de solidariedade prestado pelos portugueses e por instituições nacionais” não pretenderia “fazer distinção entre portugueses”, mas apenas “ajudar os que foram mais castigados com este incêndio a verem atenuada a sua perda”.

De acordo com o Comando Distrital de Operações de Socorro de Coimbra, o incêndio de Penela teve início cerca das 21:15 de sábado e, às 17:20 de hoje, estava ainda em curso, a ser combatido por 130 operacionais, 39 veículos e seis meios aéreos.

Dois grandes incêndios deflagraram no sábado na região Centro, provocando 64 mortos e mais de 200 feridos, tendo obrigado à mobilização de mais de dois milhares de operacionais.

Estes incêndios, que deflagraram nos concelhos de Pedrógão Grande e Góis, consumiram um total de cerca de 50 mil hectares de floresta [o equivalente a 50 mil campos de futebol] e obrigaram à evacuação de dezenas de aldeias.

O fogo que deflagrou em Escalos Fundeiros, em Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, alastrou a Figueiró dos Vinhos e a Castanheira de Pera, fazendo 64 mortos e mais de 200 feridos.

As chamas chegaram ainda aos distritos de Castelo Branco, através do concelho da Sertã, e de Coimbra, pela Pampilhosa da Serra, mas o fogo foi dado como dominado na quarta-feira à tarde.

O incêndio que teve início no concelho de Góis, no distrito de Coimbra, atingiu também Arganil e Pampilhosa da Serra, sem fazer vítimas mortais. Ficou dominado na manhã de quinta-feira.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade [video width="1280" height="1280" mp4="https://www.noticiasdecoimbra.pt/wp-content/uploads/2020/11/banner-NDC-radioboanova.mp4" loop="true" autoplay="true" preload="auto"][/video]
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com