Conecte-se connosco

Coimbra

Câmara de Coimbra “mexe e remexe” na ECOVazIA

Publicado

em

A Câmara Municipal (CM) de Coimbra vai analisar e votar, na reunião do Executivo da próxima segunda-feira, dia 28 de novembro, uma proposta dos Serviços Municipalizados dos Transportes Urbanos de Coimbra (SMTUC) de melhoria da acessibilidade ao serviço do sistema ECOVIA, bem como a atualização tarifária. Segundo o despacho da presidente do Conselho de Administração dos SMTUC, Ana Bastos, com estas alterações “dá-se um passo em frente no sentido de ser criado um verdadeiro sistema de ParkRide”.

Sob proposta dos SMTUC, a CM de Coimbra “vai deliberar a melhoria do sistema ECOVIA e a respetiva atualização tarifária, a vigorar a partir de janeiro de 2023, para incentivar o uso do sistema, através do alargamento do acesso ao universo dos utilizadores da rede geral dos SMTUC”. “

Com esta medida dá-se um passo em frente no sentido de ser criado um verdadeiro sistema de ParkRide, onde os utilizadores são convidados a largar o seu veículo individual, em parques periféricos, sem custo, ou a custos módicos, finalizando a sua viagem no espaço urbano, por recurso à rede de transportes públicos”, defende a presidente do CA dos SMTUC, Ana Bastos.

No decurso da operação da ECOVIA, “os SMTUC têm vindo a monitorizar as utilizações do sistema”, e depois de um ano sobre a implementação do sistema “para além das medidas introduzidas na fase inicial do projeto, face à reduzida procura e aos meios alocados à operação, impõe-se refletir as condições de acesso ao sistema ECOVIA em vigor e ajustar os tarifários, procurando encontra soluções ao nível da operacionalidade do sistema, tornando-o mais atrativo e acessível”, justifica a informação técnica.

Assim, é proposta a suspensão das tipologias Passe Rede Geral+ e do Passe Geral+ (entidade). Por outro lado, é criado o Passe Rede Geral (entidade) com configuração idêntica ao atual Passe Rede Geral + (entidade) e estabelece-se a permissão de acesso ao sistema através do Passe Geral dos SMTUC, o qual possibilita igualmente o estacionamento nos parques ECOVIA. Também vai passar a ser possível a venda a bordo nas viaturas afetas ao sistema, com o custo de 1,70 euros, destinado a passageiros ocasionais, principalmente turistas.

Entre as alterações a levar a cabo, destaque para o alargamento do passe rede geral de 30 euros, ao sistema ECOVIA, eliminando-se o atual passe de 35 euros (rede geral+), sendo a “forma de generalização do acesso ao serviço, por parte de todos os utilizadores dos SMTUC, alargando e promovendo a utilização deste sistema de transporte”. É ainda proposta a alteração do valor do Passe Rede Geral (entidade) para 25 euros (conforme o despacho do Conselho de Administração dos SMTUC de 18 de novembro) destinado a entidades que façam protocolo com os SMTUC e que garantam, no mínimo, “a adesão de pelo menos 20 utilizadores, o que permite diferenciar o tipo de utilizador do sistema”.

Já a implementação do valor de 1,70 euros, do bilhete a bordo, valor igual ao aprovado em reunião de Executivo de 14 de novembro para a rede geral dos SMTUC, uniformiza o custo do bilhete a bordo na ECOVIA com o restante sistema dos SMTUC, “potenciando dessa forma a utilização pontual sem que tenha associada a utilização regular, almejando angariar utilizadores pontuais, provenientes não só de estacionamentos em parques próximos das paragens da rede Ecovia, mas também utilizadores de outros meios de transportes como o serviço ferroviário”, justifica a informação.

Relativamente à melhoria de acessibilidade ao serviço da ECOVIA, propõe-se a alteração do circuito da linha vermelha, que passa a servir a zona da Estação Velha, assim como o parque dos viadutos da Casa do Sal, permitindo dar resposta a uma nova procura, designadamente face ao previsível aumento de utilizadores com destino ao CHUC, face aos constrangimentos ao estacionamento resultantes das obras do MetroBus, cujo arranque se perspetiva para breve.

Todas estas medidas vão no caminho da sustentabilidade e melhoria do serviço e, neste capítulo, refira-se a decisão de “otimizar o circuito efetuado pela Linha vermelha (Casa do Sal – HUC), passando a efetuar serviço na Rua do Padrão junto à Estação de Coimbra B, e ainda que o atual percurso da Linha Vermelha no sentido Casa do Sal – HUC, efetuado atualmente pela estrada de Coselhas, passe a efetuar-se pela via de acesso à circular externa, retomando a partir da rotunda da Fucoli o mesmo percurso, efetuado”, explica a informação técnica.

 

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com