Economia

Cabaz alimentar aumenta 16 euros num ano. Há alimentos bem mais caros

Notícias de Coimbra | 1 mês atrás em 18-06-2024

No último ano, o preço do cabaz alimentar monitorizado pela DECO PROteste aumentou mais de 16 euros, para 235,22 euros.

PUBLICIDADE

A pescada fresca e o azeite virgem extra estão entre os produtos cujo preço mais aumentou entre 2023 e 2024.

“No último ano, o preço do cabaz alimentar de 63 bens essenciais monitorizado pela DECO PROteste aumentou 16,43 euros (mais 7,51 por cento). A 12 de junho de 2024, esta cesta custava 235,22 euros. Há um ano, a 14 de junho de 2023, custava 218,78 euros”, adianta a organização de defesa do consumidor.

PUBLICIDADE

Entre os produtos cujo preço mais aumentou percentualmente no último ano “estão a pescada fresca (mais 71%), o azeite virgem extra (mais 40%) e os cereais de fibra (mais 27 por cento)”.

Entre 14 de junho de 2023 e 12 de junho de 2024, as maiores subidas percentuais verificaram-se em produtos como a pescada fresca, que custa 12,14€/kg, mais 5,04€ do que há um ano (mais 71%), o azeite virgem extra, que custa 10,30€, mais 2,94€ do que há um ano (mais 40%) e os cereais de fibra, cujo preço é de 4,85€ , mais 1,02€ face ao ano passado (mais 27%).

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE

publicidade

É ainda de destacar que, este ano, entre 3 de janeiro e 12 de junho, os produtos cujo preço mais aumentou percentualmente foram o atum posta em azeite (mais 22%), o salmão (mais 15%) e a dourada (mais 14%).

Por outro lado, na última semana, entre 6 e 12 de junho, as maiores subidas de preço registaram-se em produtos como o iogurte líquido (mais 16%), o atum posta em óleo vegetal (mais 14%) e os cereais de fibra (mais 14%).

Related Images:

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE