Conecte-se connosco

Economia

Brisa pretende investir 100 milhões de euros em 2014 e 2015

Publicado

em

A Brisa anunciou hoje que pretende fazer um investimento na sua rede principal de autoestradas na ordem dos 100 milhões de euros em 2014 e 2015, dos quais cerca de 55 milhões de euros no próximo ano.

“Em 2014 e 2015, estimamos um investimento próximo dos 100 milhões de euros”, disse o porta-voz da Brisa, Franco Caruso, num encontro com jornalistas, acrescentando que a empresa tem programada a realização de “dois alargamentos, que avançam provavelmente no próximo ano, e de uma série de beneficiações” de vias.

Os alargamentos a realizar são, segundo a mesma fonte, na Autoestrada do Norte (A1), entre Carvalhos e Santo Ovídeo, e na Autoestrada Porto/Amarante (A4), entre Águas Santas e Ermesinde.

Entre os investimentos previstos estão também as beneficiações de pavimento dos sublanços Albergaria/Estarreja (A1), nó A2/A6/A13/Alcácer do Sal (A2), Ponte de Lima Sul/Ponte de Lima Norte (A3), Estádio Nacional/Oeiras (A5) e Évora Nascente/Évora Poente (A6).

A Brisa tem em curso as obras de construção do Nó de Soure e, este ano, fez várias beneficiações, entre as quais os sublanços Vila Franca/Carregado (A1), Coimbra Sul/Coimbra Norte (A1) e Ermesinde/Valongo (A4).

No que respeita ao tráfego, o porta-voz da Brisa disse que, nos meses de outubro e novembro, foram identificados sinais de uma “retoma moderada”, em relação ao mesmo período do ano passado, o que “pode indiciar alguma recuperação, que terá de ser confirmada no próximo ano”.

O responsável disse ainda que “não haverá atualização das taxas de portagem em 2014”.

A fórmula que estabelece a forma como é calculado o aumento do preço das portagens estabelece que a variação a praticar em cada ano tem como referência a taxa de inflação homóloga sem habitação no Continente conhecida até dia 15 de novembro, data em que os concessionários devem comunicar ao Governo as suas propostas de aumentos dos preços.

A 12 de novembro, o Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgou que a taxa de inflação homóloga, excluindo habitação, no Continente em outubro foi de -0,27%, indiciando a manutenção dos preços em 2014, como a Lusa noticiou na altura.

A Brisa Concessão Rodoviária, que detém a rede principal de autoestradas da Brisa, compreende 11 autoestradas, num total de 1.099 quilómetros em operação, segundo a informação disponível na página da empresa na Internet.

As 11 autoestradas da concessão Brisa são: A1 – Autoestrada do Norte, A2 – Autoestrada do Sul, A3 – Autoestrada Porto/Valença, A4 – Autoestrada Porto/Amarante, A5 – Autoestrada da Costa do Estoril, A6 – Autoestrada Marateca/Caia, A9 – CREL (circular regional exterior de Lisboa), A10 – Autoestrada Bucelas/Carregado/IC13, A12 – Autoestrada Setúbal/Montijo, A13 – Autoestrada Almeirim /Marateca, A14 – Autoestrada Figueira da Foz/Coimbra.

 

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link