Coimbra

Bombeiros da Pampilhosa vão a Fátima a pé com 30 quilos de equipamento individual

Notícias de Coimbra | 9 meses atrás em 02-10-2023

Três bombeiros da corporação da Pampilhosa, no concelho da Mealhada, vão a pé até ao Santuário de Fátima, chamando a atenção para a dificuldade e sacrifícios do seu trabalho, ao carregarem 30 quilogramas em equipamento.

PUBLICIDADE

“Decidimos fazer a peregrinação a Fátima utilizando todo o nosso equipamento de proteção individual, que acrescenta cerca de 30 quilogramas ao nosso peso. Queremos chamar a atenção para os sacrifícios de um bombeiro português, que se expõe diariamente a estas dificuldades”, referiu Francisco Esteves.

O ponto de partida é o quartel dos Bombeiros Voluntários da Pampilhosa, ao final da tarde de quarta-feira, com previsão de chegada à hora de almoço de sábado, depois de percorrerem cerca de 100 quilómetros.

PUBLICIDADE

“Vamos levar os nossos fatos de proteção de incêndios urbanos e industriais, que estão preparados para nos proteger das altas temperaturas e não para levar em caminhadas. É todo o equipamento de proteção individual que vamos levar que aumenta o grau de dificuldade da peregrinação”, sustentou o bombeiro voluntário de 27 anos, que é também engenheiro eletromecânico no Município da Mealhada.

A acompanhar Francisco Esteves estará Ricardo Silva, de 31 anos, e Marco Fonseca, de 27, este último bombeiro profissional, integrando a Equipa de Intervenção Permanente (EIP) da Pampilhosa.

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE

publicidade

“Também queremos mostrar que as dificuldades pelas quais vamos passando são ultrapassadas em grupo, com entreajuda e união. O espírito de amizade e de sacrifício são ingredientes necessários para se ser bombeiro”, sustentou.

À agência Lusa, o soldado da paz explicou que o equipamento de proteção individual, para além da farda, que é constituída por calças e casaco de espessuras elevadas para proteção contra altas temperaturas e riscos associados, inclui ainda luvas, botas, capacete, proteção para a face e um aparelho respiratório.

“Não vai ser fácil, mas quisemos desafiar-nos. Temos participado em várias provas físicas, a pensar no nosso bem-estar físico e mental, e com isto vamos subir a fasquia”, acrescentou.

Ao todo estimam caminhar cerca de 27 horas, distribuídas por quatro jornadas.

“Partimos quarta-feira depois de um dia de trabalho, pelas 19:00, para evitar as horas de maior calor. Só no sábado a caminhada será de manhã, para chegarmos ao Santuário de Fátima por volta da hora de almoço, onde teremos familiares e amigos à espera”, informou.

O corpo de Bombeiros da Pampilhosa é constituído por cerca de 50 elementos.

Mealhada, Aveiro, 02 out 2023 (Lusa) – Três bombeiros da corporação da Pampilhosa, no concelho da Mealhada, vão a pé até ao Santuário de Fátima, chamando a atenção para a dificuldade e sacrifícios do seu trabalho, ao carregarem 30 quilogramas em equipamento.

“Decidimos fazer a peregrinação a Fátima utilizando todo o nosso equipamento de proteção individual, que acrescenta cerca de 30 quilogramas ao nosso peso. Queremos chamar a atenção para os sacrifícios de um bombeiro português, que se expõe diariamente a estas dificuldades”, referiu Francisco Esteves.

O ponto de partida é o quartel dos Bombeiros Voluntários da Pampilhosa, ao final da tarde de quarta-feira, com previsão de chegada à hora de almoço de sábado, depois de percorrerem cerca de 100 quilómetros.

“Vamos levar os nossos fatos de proteção de incêndios urbanos e industriais, que estão preparados para nos proteger das altas temperaturas e não para levar em caminhadas. É todo o equipamento de proteção individual que vamos levar que aumenta o grau de dificuldade da peregrinação”, sustentou o bombeiro voluntário de 27 anos, que é também engenheiro eletromecânico no Município da Mealhada.

A acompanhar Francisco Esteves estará Ricardo Silva, de 31 anos, e Marco Fonseca, de 27, este último bombeiro profissional, integrando a Equipa de Intervenção Permanente (EIP) da Pampilhosa.

“Também queremos mostrar que as dificuldades pelas quais vamos passando são ultrapassadas em grupo, com entreajuda e união. O espírito de amizade e de sacrifício são ingredientes necessários para se ser bombeiro”, sustentou.

À agência Lusa, o soldado da paz explicou que o equipamento de proteção individual, para além da farda, que é constituída por calças e casaco de espessuras elevadas para proteção contra altas temperaturas e riscos associados, inclui ainda luvas, botas, capacete, proteção para a face e um aparelho respiratório.

“Não vai ser fácil, mas quisemos desafiar-nos. Temos participado em várias provas físicas, a pensar no nosso bem-estar físico e mental, e com isto vamos subir a fasquia”, acrescentou.

Ao todo estimam caminhar cerca de 27 horas, distribuídas por quatro jornadas.

“Partimos quarta-feira depois de um dia de trabalho, pelas 19:00, para evitar as horas de maior calor. Só no sábado a caminhada será de manhã, para chegarmos ao Santuário de Fátima por volta da hora de almoço, onde teremos familiares e amigos à espera”, informou.

O corpo de Bombeiros da Pampilhosa é constituído por cerca de 50 elementos.

Related Images:

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE