Conecte-se connosco

Mundo

Bolsonaro fez tomografia que evidenciou melhoria no estado de saúde

Publicado

em

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, passou por exame de tomografia computadorizada no abdómen na tarde de sexta-feira e o resultado evidenciou melhoria em seu quadro de obstrução intestinal, informou o último boletim divulgado pelo Hospital Vila Nova Star.

Segundo os médicos que atendem o Presidente brasileiro desde a noite de quarta-feira, em São Paulo, ele continua evoluindo satisfatoriamente.

“O Presidente aceitou bem o início da alimentação. Segue em cuidados clínicos, sem previsão de alta hospitalar”, conclui o relatório médico.

A atualização sobre o quadro de saúde de Bolsonaro confirmou a melhora já anunciada por ele, que publicou uma fotografia em sua conta na rede social do Twitter caminhado pelo hospital.

Na legenda desta foto o Presidente brasileiro frisou que em breve estará “de volta ao campo, se Deus quiser.”

Em outra publicação na mesma rede social, realizada no final da tarde, Bolsonaro informou que já voltou a trabalhar.

“Via internet, seguimos fazendo o possível para manter os compromissos. Despachando com ministros. Boa tarde a todos!”, escreveu na legenda de outra imagem em que aparece segurando um telemóvel durante uma teleconferência com membros do Governo.

Em sua conta na rede social Twitter, o vice-presidente brasileiro, Hamilton Mourão, frisou estar “feliz com a melhora do nosso PR [Presidente Bolsonaro]. Sigo torcendo pela sua breve recuperação”.

Bolsonaro foi internado no Hospital das Forças Armadas na manhã de quarta-feira, em Brasília, após sentir dores abdominais durante a madrugada.

Posteriormente, o Presidente brasileiro foi transferido de Brasília para um hospital de São Paulo, num avião da Força Aérea Brasileira (FAB), para ser avaliada a necessidade de passar por uma cirurgia de emergência, depois de lhe ter sido diagnosticada uma obstrução intestinal.

Em causa está uma crise de soluços que o afeta há mais de uma semana e que lhe causou dores, de acordo com a Secretaria Especial de Comunicação do Governo.

O chefe de Estado brasileiro atribuiu ao ataque à faca que sofreu em 2018, num ato de campanha eleitoral em Minas Gerais, os problemas de saúde que enfrenta.

Desde que assumiu o cargo presidencial, em janeiro de 2019, Bolsonaro teve vários problemas de saúde decorrentes do esfaqueamento, tendo passado por várias cirurgias.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link