Conecte-se connosco

Ensino

Bolseiros de investigação científica protestam pelo prolongamento das bolsas  

Publicado

em

Cerca de três dezenas de bolseiros de investigação científica protestaram hoje, em frente ao Ministério da Ciência, em Lisboa, a favor do prolongamento do prazo de todas as bolsas em três meses e em maior duração nos casos aplicáveis.

O segundo confinamento devido à pandemia de covid-19, que marcou o começo de 2021, atrasou o trabalho científico dos investigadores bolseiros, que após reuniões com o ministro da Ciência, Manuel Heitor, ficaram a aguardar pelo alargamento da prorrogação das bolsas que ficou acordado em maio.

Segundo a presidente da Associação dos Bolseiros de Investigação Científica (ABIC), Bárbara Carvalho, a garantia que tinha sido dada não se concretizou e para surpresa da associação o Governo optou por anunciar um despacho a prever bolsas extraordinárias para os bolseiros diretamente financiados pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia(FCT).

“Pensando nos números dados pelo senhor ministro, neste momento existem cerca de 8.000 bolseiros diretamente financiados pela FCT que correspondem a 60% do total de bolseiros no país, o que deixa de fora cerca de 5.300 pessoas”, afirmou a presidente da ABIC.

Além da exclusão de quase metade dos bolseiros, a líder da ABIC apontou que há ainda outro problema: “o próprio mecanismo em si não é automático, como foi no ano passado, é um processo excessivamente burocratizado que vai excluir e vai deixar de fora muitas pessoas”.

Presente no protesto, o estudante bolseiro de história contemporânea na NOVA FCSH João Santos, que viu a sua investigação atrasada, considerou que o alargamento do prazo da bolsa não resolverá o problema, mas “compensará minimamente aquilo que ficou em atraso devido à pandemia”.

“É, sobretudo, uma questão de justiça, na medida em que não conseguimos realizar os nossos trabalhos, ficámos limitados. As nossas bolsas vão terminar em breve e não temos como terminar sem financiamento, porque precisamos de pagar as contas”.

Além da prorrogação do prazo das bolsas, a ABIC luta pelo fim das mesmas e pela integração na carreira de investigação científica. 

“Investigação confinada, bolsa prorrogada”, era a principal palavra de ordem dos manifestantes.

A ABIC organizou hoje outros protestos idênticos no Porto e em Coimbra.

O lançamento do regulamento do despacho, que prevê bolsas extraordinárias para os bolseiros diretamente financiados pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia(FCT), está previsto para amanhã.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade [video width="1280" height="1280" mp4="https://www.noticiasdecoimbra.pt/wp-content/uploads/2020/11/banner-NDC-radioboanova.mp4" loop="true" autoplay="true" preload="auto"][/video]
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com