Conecte-se connosco

Coimbra

Bispo de Coimbra pede uma maior atenção à Pastoral dos Doentes

Publicado

em

O Bispo de Coimbra convidou cada um, “cristão leigo, cristão consagrado na vida secular ou religiosa, diácono ou presbítero a reconhecer que não foi por mérito da sua parte que recebeu o dom de fazer parte desta grande família de Deus mas porque todos fomos chamados por Aquele que nos ama com amor eterno”.

Virgílio Antunes afirmou na homilia da celebração da Missa Crismal que teve lugar na Sé Nova que hoje era “um dia de gratidão, de louvor e de glorificação Àquele que nos ama e que pelo seu sangue nos libertou do pecado e fez de nós um Reino de sacerdotes para Deus, seu Pai (como proclamava o livro do Apocalipse, na segunda leitura).

Dirigindo-se aos presbíteros e diáconos, D. Virgílio Antunes disse que “é tempo de incluirmos a pastoral dos doentes, dos frágeis e dos que estão sozinhos no nosso programa pessoal. No programa pessoal do exercício do nosso ministério mas também no plano de vida das comunidades que servimos. Quando esta Pastoral dos Doentes não existe, a Igreja falha na sua condição de mãe e de cuidadora de todos os seus filhos”, falhando também a missão dos presbíteros que consola e que cura.

“O Sacramento da Unção dos Doentes aparece nessa altura como uma ação isolada ou até porventura desconhecida e estranha e a Boa Nova fica por anunciar àqueles que são os prediletos de Jesus”, afirma ainda o prelado chamando a atenção para a necessidade de uma verdadeira catequese ao povo de Deus sobre este Sacramento.

Virgílio Antunes pediu ainda aos presbíteros e diáconos “ânimo, coragem e criatividade” face às adversidades dos tempos que vivemos.

A celebração da Missa Crismal, na Sé Nova, juntou mais de uma centena de sacerdotes, diáconos permanentes e seminaristas da diocese em torno do seu bispo, onde os padres renovaram as promessas sacerdotais e onde foram benzidos os óleos que irão ser distribuídos pelas comunidades para as celebrações dos vários sacramentos.

Recordamos ainda as outras celebrações que serão presididas pelo Bispo de Coimbra:

Sexta-feira Santa (2 de abril)

– Laudes e Ofício de Leitura, 9h30 

– Celebração da Paixão do Senhor, 15h 

– Via Sacra, 21h30 

Sábado Santo (3 de abril)

– Laudes e Ofício de Leitura, 9h30 

– Solene Vigília Pascal, 21h30 

Domingo de Páscoa (4 de abril)

– Missa Dominical, 11h15 

 

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link