Conecte-se connosco

Destaque

BES é o maior credor da insolvente Agenda Setting

Publicado

em

José Diogo na posse de Manuel Machado como presidente da CMC, que paga quatro mil euros por mês a uma empresa do assessor que não tem aparecido nos Paços do Concelho

José Diogo na posse de Manuel Machado como presidente da CMC, que paga quatro mil euros por mês a uma empresa do assessor que não tem aparecido nos Paços do Concelho

 

NDC consultou os autos do processo de insolvência da Agenda Setting, empresa que  tem como único sócio gerente José Diogo, o especialista em agências secretas que através de outra sociedade, a Valor de Fundo, onde tem como sócio Luís Miguel Viana, tem contratos por ajuste directo com a Ordem dos Médicos e Câmara Municipal de Coimbra, adjudicações que aconteceram depois de estarem envolvidos nas campanhas que levaram à eleição de José Manuel Silva como Bastonário e de Manuel Machado como presidente.

O pedido de insolvência da Agenda Setting foi efectuado por Alexandra Taborda, ex-directora financeira da sociedade que teve sede na Estrada de Eiras e que agora dá como morada um andar na rua do Brasil, onde, como NDC verificou,  funciona a empresa que lhe presta(va?) serviços de contabilidade, o que não terá ajudado à notificação do gerente e da sociedade, pois grande parte das comunicações foram devolvidas ao remetente (Tribunal).

No Comarca de Coimbra, Coimbra – Inst. Local – Secção Cível – J2 de Coimbra, no dia 29-10-2014, pelas 16 h e 40 m , foi proferida sentença de declaração de insolvência do(s) devedor(es): Agenda Setting – Processamento de Dados, Lda,  
São administradores do devedor:José Manuel Vieira Fernandes Leitão Diogo. 
Para Administrador da Insolvência é nomeada – Dr(a). Alexina Vila Maior.

A antiga funcionária reclama o pagamento de 21 303, 82 Euros, pagamento relativo à rescisão de contrato por justa causa, por falta de pagamento de salários, o que mereceu a contestação da Ré Agenda Setting, mas não convenceu o Tribunal da Comarca de Coimbra.

A Agenda Setting é representada pelo escritório de Dias Ferreira, o irmão de Manuel Ferreira Leite, que José Diogo não conseguiu levar à presidência do Sporting, mas que recentemente voltou à ribalta graças ao seu envolvimento no chamada escândalo GetEsay, que a RTP garante estar a ser alvo de investigação por parte da Polícia Judiciária.

Consultados os balancentes que estão disponíveis no processo constata-se que grande parte dos credores e devedores são “parceiros estratégicos” da Agenda Setting e empresas controladas por José Diogo, várias sem actividade, onde se incluem a Pragmino, Loja das Notícias, BSCSG, Informacion Capital (que tem 5% da AS), Valor de Fundo, Visual Virtual… São “saldos parados”, como alegou a antiga directora financeira, na ordem dos 80%, o que na sua opinião indicia a “dificuldade da empresa  em fazer face às dividas”.

A Agenda Setting avançou para Marrocos onde, com sócios locais, abriu uma agência de comunicação. José Diogo, 2010 Meios e Publicidade

Dividas onde aparece o BES em primeiro lugar, logo seguido do Santander Totta. A Agenda Setting deve 293 107, 36 Euros  “banco mau”  e mais de 50 000 à entidade bancária controlada por espanhóis.

Fonte  da banca estranhou a concessão de crédito tão elevado a uma empresa cuja facturação média nos últimos 3 anos rondou os 250 000, oo, registando prejuízos no triénio 11/13 na ordem os 100 000, oo€.  Eventual explicação é dada por empresário próximo de José Diogo, que contou a NDC que este tinha alegadas  relações privilegiadas com um quadro superior do BES, que será responsável por uma boa parte do crédito mal parado que o agora Novo Banco tem junto do universo empresarial de Coimbra.

Uma agência de comunicação deve ser discreta e honrar valores éticos e humanistas José Manuel Diogo 2012 M&P

Segundo os balancetes disponíveis nos autos, José Diogo “deve” cerca de 185 mil Euros à  sua Agenda Setting, sendo 30% deste valor relativo a transacções com cartão de crédito.

No processo é referido um valor de 60 000 Euros referente a gratificações, mas até agora não foi possível apurar o(s) destinatário(s) desse valor.

Na lista de credores encontramos ainda o Porto Canal, Cision, Marsil (que partilhou negócios e instalações nas Amoreiras com a ré), bem como de empresas que não estão na área dos media.

A Agenda Setting Comunicação está a organizar um seminário sobre Marketing Político…A conferência tem lugar no próximo dia 18 de Março, no Porto, no Hotel Porto Palácio. OEntre os oradores estão nomes como Luís Filipe Menezes, presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, e de Luís Miguel Viana, director de informação da Agência Lusa...2009, M&P

Confrontados com estes dados, quando foram prestar depoimento na qualidade de testemunhas, duas pessoas conhecedoras da empresa não se mostraram confiantes no futuro da AS. Tiago Patrão, do BES, afirma que a eventual “viabilidade depende da boa vontade dos credores”. Já Margarida Matias, da empresa de contabilidade da AS,  admitiu a incobrabilidade de créditos da requerida.

Perante este cenário, a Juíza Leonor Gusmão, titular do processo, não teve outro remédio senão proferir sentença de insolvência, mais não seja porque não se prefigurar viável a apresentação de um plano de insolvência, afigurando-se mais simples a liquidação do património da devedora, mas perante a falta de liquidez, prescindiu da realização de assembleia de credores, pois a “superioridade manifesta do passivo perante o crédito”, coincide, em regra, com a possibilidade de cumprimento de pagamentos por parte da devedora.

O perfil do candidato (José Manuel Silva) no Facebook ultrapassou os dois mil seguidores e foi encarado como a ferramenta principal de comunicação. José Diogo,2011, M&P

Pode ainda ser aprovado Plano de Insolvência, com vista ao pagamento dos créditos sobre a insolvência, a liquidação da massa e a sua repartição pelos titulares daqueles créditos e pelo devedor, que pode ser apresentado  pelo administrador da insolvência, o devedor ou qualquer pessoa responsável pelas dívidas da insolvência ou qualquer credor ou grupo de credores que representem um quinto do total dos créditos não subordinados reconhecidos n

Festa em casa do patrão, antes do despedimento colectivo

Como enquanto há divida há esperança de cobrar, quem entender que tem direito ao seu crédito, dispõe de 30 dias para reclamar os seus créditos, o que deve ser comunicado ao administrador da Insolvência Alexina Vila Maior.

Entretanto, o Tribunal da Comarca de Coimbra decretou a apreensão, para entrega imediata ao administrador da insolvência, da contabilidade de bens da Agenda Setting – Processamento de Dados, Lda.

Para a história da Agenda Setting fica a forma “peculiar” como conquistavam clientes na esfera governamental e municipal e as faustosas festas que deu na Quinta das Lágrimas ou na Casa da Lousã, para onde convidou conhecidas figuras da vida artística, jornalismo e política, o que decerto pode inspirar uma futura crónica de José-Manuel Diogo  (que assina com e sem traço), no Diário de Coimbra, onde escreve mais ou menos o que por vezes publica na Visão.

Em actualização

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade [video width="1280" height="1280" mp4="https://www.noticiasdecoimbra.pt/wp-content/uploads/2020/11/banner-NDC-radioboanova.mp4" loop="true" autoplay="true" preload="auto"][/video]
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com