Conecte-se connosco

Economia

“Bem-vindo ao futuro” na Feira Nacional da Agricultura  

Publicado

em

A Feira Nacional da Agricultura (FNA), que decorre de 04 a 12 de junho em Santarém, sob o lema “Bem-vindo ao futuro”, destaca este ano a inovação e a tecnologia como determinantes para o futuro do setor.

Na apresentação da edição deste ano da FNA, realizada hoje em conferência de imprensa, Luís Mira, administrador do Centro Nacional de Exposições e Mercados Agrícolas (CNEMA), que promove o certame, salientou que a tecnologia e a inovação serão “determinantes” para atingir os objetivos europeus para assegurar a disponibilidade de alimentos e fazê-lo de uma forma mais sustentável.

“É um novo mundo, é a inteligência artificial a tomar decisões pelo homem”, disse o também secretário-geral da Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP).

Para Luís Mira, depois da era da mecanização, que permite que, na atualidade, apenas a apanha da fruta seja feita manualmente, o trabalho para os próximos anos será disseminar tecnologias, que já existem, e que vão revolucionar a agricultura.

A edição deste ano da Feira Nacional da Agricultura vai permitir aos visitantes “contactarem com algumas dessas realidades”, disse, dando o exemplo dos óculos de realidade aumentada usados em campos agrícolas para verificar o estado das culturas e a existência de eventuais carências, de nutrientes ou água, ou de doenças, e que permitem reduzir o uso de pesticidas e adubos em 60 a 80%.

Esse contacto começará logo no enorme largo exterior do CNEMA, que a exemplo das edições anteriores será decorado de acordo com o tema da feira, adiantou.

Salientando que atualmente apenas 6% da população ativa do país se dedica à agricultura, Luís Mira afirmou que é ainda mais reduzida a percentagem dos que já utilizam as novas tecnologias.

Por isso, defendeu, vão ser necessárias políticas que permitam a existência de infraestruturas, como a rede 5G, e de meios para os locais onde essa instalação não é possível, questões que espera sejam tidas em conta nas medidas específicas que Portugal pode adotar no âmbito da Política Agrícola Comum (PAC).

Em destaque nos claustros do CNEMA, este ano destinado ao “espaço inovação”, estarão exemplos de ofertas já existentes em áreas como a biotecnologia, a robótica ou a inteligência artificial, disse.

Segundo Luís Mira, a atual situação internacional, com a redução de matérias-primas a afetar vários setores, faz com que este ano estejam ausentes cerca de 25 expositores de maquinaria agrícola, que encontram habitualmente na FNA um momento privilegiado para a realização de negócios.

Em todos os dias úteis realizam-se seminários e debates, destacando Luís Mira a conferência internacional sobre o futuro da agricultura que está agendada para o dia 08 de junho.

Na Nave A, o Salão Prazer de Provar volta a ter “o melhor da produção nacional”, em produtos como vinhos, azeites, queijos, enchidos, méis, compotas, frutos, com a realização de provas e concursos e ações de cozinha ao vivo.

Na Nave B, estarão as organizações e instituições do setor, bem como empresas de equipamentos e serviços para a agricultura, decorrendo neste espaço a Feira Empresarial da Região de Santarém, promovida pela Nersant.

As raças autóctones voltarão igualmente a estar presentes no certame, o qual dá destaque ao cavalo e a provas e concursos equestres, a que se aliam um conjunto de atividades associadas ao touro, como largadas, e ao mundo rural, com a presença de campinos e espetáculos com ranchos folclóricos.

O cartaz de espetáculos inclui as atuações de David Carreira (04 de junho), Abba Gold (dia 09), Syro (dia 10) e David Antunes (dia 11).

Depois de dois anos condicionada pela pandemia da covid-19 (com suspensão do evento em 2020 e a realização reduzida e condicionada em 2021), a FNA regressa aos moldes normais, sendo a expectativa de que volte a acolher os cerca de 200.000 visitantes das edições anteriores, contando com mais de 500 expositores.

Luís Mira afirmou que os visitantes encontrarão um espaço melhorado, com a zona dos restaurantes e das tasquinhas a oferecerem “maiores comodidades” e a disponibilização de transportes gratuitos a ligarem a estação da CP e a cidade ao CNEMA.

Esta ligação será assegurada por autocarros elétricos, salientando Luís Mira o “compromisso ambiental” do certame, com o uso apenas de copos recicláveis e existência de pontos de recolha seletiva de resíduos, além da aposta feita ao longo do último ano na cobertura do parque de estacionamento com painéis para produção de energia fotovoltaica.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link