Conecte-se connosco

Autárquicas

Bandeira de Santana Lopes em estátua na Figueira da Foz leva Câmara a apresentar queixa

Publicado

em

Uma bandeira do movimento Figueira à Primeira, colocada no monumento da estátua e túmulo de Manuel Fernandes Tomás, vai levar a Câmara Municipal da Figueira da Foz a apresentar queixa às autoridades, disse hoje o presidente da autarquia.

“Vou apresentar queixa e vou mandar retirar. Tem de se dar o exemplo, tem de se dizer às pessoas que há limites para estas coisas”, disse à agência Lusa Carlos Monteiro.

O autarca do PS, que é candidato à Câmara Municipal nas eleições de dia 26, revelou que irá levar este caso, na segunda-feira, à reunião do executivo municipal, reafirmando a intenção de apresentar queixa na PSP “contra desconhecidos”.

“Isto é um abuso. Uma coisa é a liberdade de expressão e fazer campanha eleitoral, outra coisa é minimizar símbolos importantíssimos, quer para o concelho, quer para o país, como é Manuel Fernandes Tomás, metendo-lhe uma bandeira de qualquer força política”, argumentou Carlos Monteiro.

A bandeira verde e amarela do movimento de apoio a Pedro Santana Lopes foi colocada na estátua e adaptada com um dispositivo específico à mão direita da escultura, constatou a Lusa no local. Ao início da tarde, acabaria por ser retirada pelos Bombeiros Sapadores.

Manuel Fernandes Tomás foi um dos obreiros da revolução liberal de 1820 e autor da Constituição de 1822. A estátua, de três metros de altura, está colocada na chamada Praça Nova, na baixa da cidade, no topo de um pedestal em pedra com cerca de seis metros de altura, que tem na base o túmulo do político, natural da Figueira da Foz.

Ouvido pela Lusa, Luís Ribeiro, presidente da Associação 24 de Agosto – que, em conjunto com a Associação Manuel Fernandes Tomás, todos os anos presta homenagem, naquele local, ao chamado Patriarca da Liberdade – condenou o “ato de vandalismo”.

“A Associação 24 de Agosto condena em absoluto este ato de vandalismo e falta de respeito pela memória histórica do patriarca da Figueira da Foz”, frisou Luís Ribeiro.

Já Fernando Cardoso, presidente da Associação Manuel Fernandes Tomás, lembrou que o monumento, datado do início do século XX, homenageia um “homem da liberdade”.

“Todos os países têm um herói da liberdade, em Portugal é Manuel Fernandes Tomás e aí cabem todos os partidos. Por isso, não se justifica que lá [na estátua] haja nenhuma bandeira (…) É um ato de vandalismo”, sublinhou.

São candidatos à Câmara da Figueira da Foz Bernardo Reis (CDU), Miguel Mattos Chaves (CDS-PP), Pedro Santana Lopes (independente), Pedro Machado (PSD), Rui Curado Silva (BE) e Carlos Monteiro (PS), atual presidente.

O executivo municipal da Figueira da Foz é liderado pelo PS, com seis mandatos, contra três do PSD, sendo que o partido retirou a confiança política a dois dos seus vereadores.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade