Assinaturas NDC

Apoie a nossa missão. Assine o Notícias de Coimbra

Mais tarde

Educação

Associações Académicas querem descentralizar discussão no Ensino Superior

Notícias de Coimbra com Lusa | 11 meses atrás em 24-03-2023

 O Conselho de Associações Académicas Portuguesas (CAAP), que foi hoje formalmente criado em Aveiro, pretende ser uma voz do movimento estudantil junto do Governo, procurando descentralizar a discussão dos temas relacionados com os estudantes universitários.

PUBLICIDADE

Em declarações à Lusa, Wilson Carmo, presidente da Associação Académica da Universidade de Aveiro (AAUAv), uma das instituições fundadoras do CAAP, disse que o propósito desta nova estrutura é “começar a reconhecer mais o Ensino Superior fora do Porto e Lisboa”.

“Sentimos que muitas vezes aquilo que acontece é que, sempre que é preciso discutir ou ouvir alguém, vamos ao Porto ou a Lisboa, porque também é lá que temos a maioria, ou praticamente a maioria, dos estudantes do Ensino Superior. Mas sentimos que é necessário haver uma descentralização desta discussão e uma valorização do país como um todo”, disse o responsável.

O presidente da AAUAv referiu ainda que o CAAP surge para colmatar uma lacuna existente, uma vez que, a nível nacional, “não há muitas instituições de Ensino Superior que estejam formalizadas e que facilmente cheguem à tutela com posições”.

“A nível nacional, temos só a Federação Nacional dos Estudantes do Ensino Superior Politécnico. E, portanto, a formalização de uma estrutura é muito importante para quando chegarmos à tutela as nossas vozes não serem postas de parte”, disse o dirigente estudantil.

Segundo Wilson Carmo, o CAAP representa “um quarto do Ensino Superior”, integrando oito das nove associações que faziam parte do movimento “Académicas.” – Associações Académicas das Universidades dos Açores, Aveiro, Algarve, Beira Interior, Évora, Madeira, Minho e Trás-os-Montes e Alto Douro.

De fora ficou a Associação Académica da Universidade de Coimbra, apesar de o presidente da AAUAv assegurar que o CAAP irá trabalhar com a academia coimbrã.

“Coimbra não se associou a nós, neste momento, porque não aprovou [a adesão ao CAAP] em assembleia geral. Mas continua a concordar connosco. Vamos continuar a trabalhar com a Associação Académica de Coimbra”, explicou.

A cerimónia de fundação do CAAP, que decorreu esta tarde na Casa do Estudante, na Universidade de Aveiro, não contou com a presença da presidente da Associação Académica da Universidade dos Açores, mas Wilson Carmo garantiu que a associação açoriana faz parte dos membros fundadores.

O presidente da AAUAv referiu que o plano de atividades desta nova estrutura inclui a realização de reuniões mensais em todas as academias do país, para auscultar o movimento associativo e discutir vários problemas que afetam os estudantes universitários, como a falta de alojamento e a escassez de ação social.

 

Related Images:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com