Conecte-se connosco

Saúde

Associação de Paralisia Cerebral com “Milhões de Motivos” para assinalar dia mundial

Publicado

em

Associação de Paralisia Cerebral de Coimbra (APCC) vai fazer de outubro o Mês da Paralisia Cerebral “aproveitando a convergência no mês do Dia Mundial, que se celebra hoje, e do Dia Nacional da Paralisia Cerebral, dia 20, respetivamente. “Milhões de motivos” é o tema que desafia a comunidade a encontrar motivos para falar de paralisia cerebral, na certeza de que cada pessoa que vive com paralisia cerebral é um motivo para lutar por mudanças.

A iniciativa arranca hoje e até ao final do mês a APCC vai “recolher frases com os motivos de cada um para se manifestar neste Mês da Paralisia Cerebral. “Podem ser reflexões, experiências, memórias, reivindicações ou quaisquer outras formas que cada um escolha para partilhar”, revela a instituição que acrescenta que as “pessoas com paralisia cerebral, familiares, amigos, profissionais da área, ou de qualquer outra pessoa ou entidade que queira, simplesmente, juntar-se a esta iniciativa por uma sociedade mais inclusiva”.

A participação pode ser feita online, através de um formulário disponibilizado no site da APCC (www.apc-coimbra.org.pt), de mensagem direta na página de Facebook (www.facebook.com/APCCoimbra) ou do e-mail [email protected]. Também poderá ser feita presencialmente, no Centro de Reabilitação de Paralisia Cerebral de Coimbra (Vale das Flores) e na Quinta da Conraria.

As frases recebidas ou deixadas presencialmente serão depois tornadas públicas, através dos meios próprios de divulgação da APCC, acompanhadas do nome dos  seus  autores, sempre que o mesmo seja indicado. Nas redes sociais, o Mês da Paralisia Cerebral poderá ser acompanhado através das hashtags #mesPC e #milhoesdemotivos.

A paralisia cerebral refere-se a um grupo de desordens no desenvolvimento, que afetam o controlo dos movimentos, a postura e o equilíbrio. É resultado de uma lesão – que é permanente, mas não agrava nem progride – aquando do desenvolvimento do sistema nervoso central. É o problema de desenvolvimento mais comum na infância, afetando aproximadamente 2 em cada 1000 crianças.

A intervenção na comunidade, sensibilizando a sociedade para a questão da deficiência e interagindo com parceiros para operar a mudança, é uma das vertentes da atividade da APCC. Dela faz parte ainda o trabalho direto com milhares de utentes, em respostas como a reabilitação, a formação, as atividades para a capacitação, o acompanhamento e reabilitação social, as residências ou o apoio domiciliário, entre outras.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade