Conecte-se connosco

Lazer

Associação assinalou 55 anos de história com prémios para os desportistas portugueses

Publicado

em

A Associação dos Jornalistas de Desporto (CNID) premiou hoje os atletas Pedro Pichardo e Patrícia Mamona, o ciclista Iuri Leitão, a jogadora de futsal Ana Catarina Pereira, a ginasta Filipa Martins e os treinadores Rúben Amorim e Bruno Pinheiro.

Numa cerimónia no Mercado de Santa Clara, em Lisboa, os cinco atletas foram os grandes destaques entre os premiados para a temporada 2020/21, a que se juntaram os treinadores Rúben Amorim, que reconquistou para o Sporting o título de campeão nacional de futebol, 19 anos depois, e a Taça da Liga, e Bruno Pinheiro, vencedor da II Liga no comando técnico do Estoril Praia.

Pedro Pablo Pichardo tornou-se este ano o quinto português campeão olímpico, em Tóquio2020, ao vencer o concurso do triplo salto, disciplina em que Mamona conquistou a medalha de prata.

Já Iuri Leitão sagrou-se campeão do mundo de scratch em ciclismo de pista, Ana Catarina Pereira foi considerada a melhor jogadora de futsal do mundo e Filipa Martins alcançou o sétimo lugar no Mundial de ginástica artística, a melhor classificação de sempre de uma portuguesa.

Na cerimónia que elegeu ainda o Sporting como clube do ano, depois da reconquista do título de campeão nacional de futebol, e serviu também para assinalar os 55 anos do CNID, Manuel Queiroz, presidente da associação, admitiu que “o jornalismo está em crise” e que urge “fazer perceber que a sociedade é mais saudável com o jornalismo que põe de lado as ‘fake news’”.

No mesmo tom, Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República, esteve presente na cerimónia através de uma declaração gravada em que relembrou a necessidade de existir “uma comunicação social forte em Portugal.”

“A comunicação tem passado por uma crise terrível, que se agravou com a pandemia. Acompanho com atenção as condições sócio-económicas da vossa atividade e sou solidário com a vossa luta, para bem do desporto português e da democracia em Portugal. Onde não há uma comunicação social forte, não pode haver uma democracia forte”, sublinhou o Presidente da República.

Depois do cancelamento da cerimónia do ano passado, devido à pandemia de Covid-19, a sessão que hoje teve lugar entregou também os prémios dos vencedores de desportistas dos dois últimos anos: os ciclistas Maria Martins e João Almeida, vencedores no ano passado, e a jogadora de ténis de mesa Fu Yu e o judoca Jorge Fonseca, em 2019.

Também relativo ao ano de 2019, Bernardo Silva, jogador do Manchester City, foi distinguido como o melhor futebolista luso a atuar no estrangeiro.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link