Conecte-se connosco

Cinema

Caminhos do Cinema Português afiança que apoio camarário à Casa do Cinema de Coimbra é “grande voto de confiança”

Publicado

em

O apoio da Câmara Municipal de Coimbra à Casa do Cinema de Coimbra, através da compra das duas salas de cinema do Edifício Avenida, é um “grande voto de confiança”, argumentou hoje uma das associações dinamizadoras do projeto.

Em comunicado enviado à agência Lusa, a Caminhos do Cinema Português – que, em conjunto com o Centro de Estudos Cinematográficos da Associação Académica de Coimbra (AAC) e o Fila K Cineclube, promove o projeto da Casa do Cinema, destacou que a decisão municipal traduz o “grande voto de confiança” na atividade da associação e o “grande instrumento de trabalho que faltava ao setor associativo da cidade que promove a cultura cinematográfica”.

A Câmara Municipal de Coimbra anunciou, na quarta-feira, a compra, por 170 mil euros das duas salas de cinema e outros espaços adjacentes do Edifício Avenida, localizado na avenida Sá da Bandeira, no centro da cidade, concretamente a localizada no piso 0, onde está instalada a Casa do Cinema de Coimbra e a do 7º piso, onde funcionava o chamado Estúdio 1.

A aquisição foi precedida de uma negociação com o proprietário dos espaços, que estavam em vias de ser leiloados online, na sequência do processo de insolvência dos cinemas que ali funcionaram.

A associação lembrou, no comunicado, que a Casa do Cinema de Coimbra, “está a promover sessões na sala de cinema do piso 0” do Edifício Avenida e, citando o presidente da autarquia, José Manuel Silva, frisou que a aquisição do espaço pelo município visa “recuperar e manter uma oferta pública e erudita de cinema em Coimbra”.

“Permitindo a reabilitação do conceito de cinema de bairro e de tertúlia cinéfila, que ainda existe na região de Coimbra, [este] é um desiderato importante considerando vários vetores das políticas culturais municipais e nacionais e da preservação de património cultural”, continuou o presidente da Câmara, na citação incluída na nota.

José Manuel Silva sublinhou ainda “o importante papel” das três entidades promotoras da Casa do Cinema de Coimbra, que têm permitido “criar na Região de Coimbra um ponto de encontro da cinefilia e dos seus promotores, contribuindo para a coesão regional e nacional na promoção da cultura cinematográfica, com a possibilidade de receber nas suas salas os vários agentes que trabalham na promoção e produção da sétima arte”.

Segundo a nota e nesse sentido, é intenção da Câmara Municipal “que a Casa do Cinema de Coimbra – equipada com um sistema de projeção digital de cinema, som Dolby Digital 7.1 e um ecrã de sete metros – continue a funcionar naquele espaço”.

Também citado no comunicado, Tiago Santos, da Caminhos do Cinema Português considera que a ação do município “é um exemplo de preservação patrimonial que o resto do país deveria seguir, apostando-se na preservação dos cinemas de bairro”.

Por seu turno, Paulo Fonseca, do Fila K Cineclube, este é o reconhecimento “por parte das entidades públicas, que “em jogo” estava “não só a sala icónica que diz muito à cidade, mas também o trabalho incrível” realizado pela Casa do Cinema.

“É a primeira vez que estamos a sentir por parte do município o reconhecimento deste espaço como casa, como espaço onde habitamos, de coração, e trabalhamos. Numa fase em que estamos a perder tanto (…) virem estas lufadas de ar fresco, principalmente para um meio de atividade tão precário, que luta sempre contra tantos ‘nãos’, temos de agradecer”, disse, por sua vez, João R. Pais, do Centro de Estudos Cinematográficos da AAC.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com