Conecte-se connosco

Região

Arganil promove “Aldeias” para potenciar “atratividade e dinamismo” (com vídeos)

Publicado

em

Decorreu hoje, na aldeia de Cepos, em Arganil, uma conversa com enfoque na temática “Aldeias” promovida pela Câmara Municipal de Arganil e que contou com a presença da Secretária de Estado da Valorização do Interior, Isabel Ferreira.

O presidente da Câmara Municipal de Arganil, Luís Paulo Costa, esclareceu em entrevista ao NDC que o principal objetivo destas sessões passa por pensar em formas para “conferir atratividade e dinamismo a estas aldeias do interior”.

No decorrer deste encontro foram abordados os seguintes projetos a decorrer: Regeneração Ambiental, Comunitária no contexto de CANARY IN THE MINE; projeto Floresta da Serra do Açor; Rebanho dos Cepos e Casal Novo; Rebanhos do Rabadão; ARBOR, Associação da Região da Benfeita para Objetivos Regenerativos.

O autarca acrescentou que este projeto “vem na sequência dos incêndios de 2017” e que tem sido desenvolvido em parceria com Sílvia Benedito, professora na Universidade de Harvard.

“No caso do projeto da Serra do Açor é um projeto que vimos a desenvolver em parceria com a Escola Superior Agrária de Coimbra e com o grupo Jerónimo Martins, que assume aqui o papel de mecenas, e que financia a intervenção em 2500 hectares de espaço florestal durante os próximos 40 anos, com um modelo florestal diferente, inovador, com a reintrodução de espécies autóctones”, clarificou.

Este projeto contempla um investimento superior a cinco milhões de euros que serão implementados segundo uma calendarização, na qual “80% deste valor será investido nos primeiros sete anos e já começou a contar no ano passado”, disse o edil de Arganil.

Relativamente ao projeto Rebanhos, Luís Paulo Costa, detalhou que o mesmo foi aplicado pela Junta de Freguesia de Cepos e que o mesmo já se encontra aplicado no terreno.

O mesmo projeto já operacionalizado tem por base uma série de investigações académicas, que têm vindo a sustentar as ideias de que “os animais podem efetivamente com economia e com mais eficiência manter as faixas de proteção e acabam também por ajudar na dinamização da economia local”, defendeu o presidente da autarquia.

A Secretária de Estado da Valorização do Interior, Isabel Ferreira, que também marcou presença nesta conversa, elogiou os projetos já enunciados por serem ideias que “emanam a partir dos atores do território e emergem nestas dinâmicas que nós hoje chamamos de inovação social, mas que têm um espectro de atuação muito grande. São projetos de micro-empreendedorismo, são projetos ligados ao setor primário e que valorizam o nosso Interior”.

A governante finalizou realçando a importância das aldeias e assegurou que as cidades não podem existir sem as aldeias, uma vez que “as aldeias são o garante de todos os serviços de ecossistema, dos equilíbrios ambientais do nosso país e é absolutamente fundamental preservarmos as aldeias senão passamos a ter algumas cidades e mato e obviamente que sabemos quais são as consequências disso”.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link