Conecte-se connosco

Coimbra

Aprovado estudo da Região de Coimbra para alternativa à Estrada da Beira

Publicado

em

A Comunidade Intermunicipal (CIM) da Região de Coimbra aprovou, por unanimidade, um estudo que prevê a criação de uma alternativa à Estrada Nacional (EN) 17, vulgarmente conhecida por Estrada da Beira, com ligação ao IP3 e ao IC6.

Segundo a CIM da Região de Coimbra, em causa está o estudo de viabilidade da variante à Estrada da Beira, que está em curso, entre o nó de Ceira da Autoestrada 13 e a Ponte Velha, na Lousã, incluindo a ligação de Vila Nova de Poiares ao Itinerário Complementar (IC) 6.

Desde modo, sublinha, é possível criar uma “alternativa à atual EN17, com ligação ao IP [Itinerário Principal] 3 e ao IC6, sendo projetada uma via para uma velocidade base mínima de 90 quilómetros por hora (km/h) em todo o percurso”.

O estudo de viabilidade está a ser executado, no âmbito de um protocolo entre a CIM da Região de Coimbra e a Infraestruturas de Portugal (IP).

Esse acordo determina que a Infraestruturas de Portugal, para além do apoio técnico, “suporte 50% do valor dos encargos com o estudo de viabilidade”, refere a CIM numa nota enviada hoje à agência Lusa.

O Conselho de Ministros autorizou (resolução 46-A/2021) a IP “a desenvolver os procedimentos tendentes à implementação do projeto rodoviário “ligação ao IP3 dos concelhos a sul”, com um investimento de 20.000.000,00 de euros + IVA”, recorda a CIM da Região de Coimbra.

Tendo em conta o valor previsto desta resolução, foi decidido pelos autarcas da CIM da Região de Coimbra que o estudo será realizado por fases.

A ligação de caráter prioritário é entre Ponte Velha e o nó EN2/IP3, mas “sem prejuízo da importância das demais ligações”, realça a CIM.

Os autarcas da Região de Coimbra consideram que é “necessário um compromisso que defina as fontes de financiamento adicionais para implementar os restantes troços previstos”, onde vão ser incluídas outras questões estruturantes de mobilidade que permanecem sem solução e que se interligam com este projeto.

Um desses exemplos são as ligações dos concelhos de Miranda do Corvo e de Góis a esta estrutura viária, possibilitando uma efetiva ligação rodoviária destes concelhos ao IP3 e ao IC6.

“A criação de uma infraestrutura rodoviária estruturante e que permita a ligação dos concelhos desta região aos pontos distribuidores como portos, aeroportos e fronteira, é essencial para o desenvolvimento da região a nível económico e social” concluiu a CIM.

A CIM da Região de Coimbra é constituída pelos municípios de Arganil, Cantanhede, Coimbra, Condeixa-a-Nova, Figueira da Foz, Góis, Lousã, Mira, Miranda do Corvo, Montemor-o-Velho, Oliveira do Hospital, Pampilhosa da Serra, Penacova, Penela, Soure, Tábua e Vila Nova de Poiares, todos no distrito de Coimbra, além de Mortágua, distrito de Viseu, e Mealhada, distrito de Aveiro.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link