Portugal

Após dois anos pai e filhos regressam a casa depois de incêndio ter destruído casa

NOTÍCIAS DE COIMBRA | 3 meses atrás em 07-01-2024

Imagem: Mediotejo.net

Uma família constituída por um pai e dois filhos ficou destruída por um incêndio que atingiu Freixianda, em Ourém.

PUBLICIDADE

O dia 12 de julho de 2022 está bem presente na vida destas pessoas. Dois anos após a tragédia, preparam-se para regressar a casa.

No ano do incêndio, que destruiu a habitação e todos os bens que nela se encontravam, Marcelo Rebelo de Sousa visitou a família, em dezembro, e consolou o pai, bem como os filhos, manifestando-se impressionado.

PUBLICIDADE

publicidade

Dezoito meses depois, a obra vai começar. Ao Região de Leiria, o presidente daquele concelho descreve o processo como “muito complicado”. “Não havia projeto, só isso demorou muito tempo”, explicou. Foi ainda necessário “legalizar aquele edificado que não tinha qualquer tipo de registo, certidão predial, nem registo nas Finanças”, adiantou.

Todos estes passos se revelaram essenciais para desbloquear os restantes. “O financiamento do Instituto da Habitação e Reabilitação Urbana (IHRU) demorou algum tempo, bem como a autorizar o início da demolição enquanto a situação da propriedade não estivesse registada em nome deles”. Por isso, Luís Albuquerque considera que “se quando passarem dois anos do incêndio, estiverem na nova casa, não é muito demorado, tendo em conta as circunstâncias”.

PUBLICIDADE

O pai, com cerca de 80 anos ficou a instalado no lar do Centro Social e Paroquial de Freixianda, enquanto os filhos ficaram a residir numa habitação em Pelmá, concelho de Alvaiázere, cedida para o efeito. Os irmãos “estão a morar numa habitação digna em que a renda foi suportada pelo município durante seis meses e agora é suportada pelo IHRU”, esclareceu o autarca, garantindo que os serviços sociais da autarquia acompanham o caso.

“A intervenção, que inclui demolição do existente e construção de nova habitação é um investimento de 127 mil euros (+IVA), sendo apoiada pelo Estado em 90 mil euros e pelo município de Ourém no restante. O recheio da moradia é remetido para uma fase posterior”, pode ler-se.

Marcelo Rebelo de Sousa, que havia manifestado interesse em voltar quando a habitação estivesse pronta, será um dos convidados no dia em que a família regressar àquela que é a sua casa.

Related Images:

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE