Região

Aplicação permite aceder a temáticas das invasões francesas na Região de Coimbra

Notícias de Coimbra com Lusa | 1 ano atrás em 05-05-2023

Uma aplicação móvel lançada hoje, dia 5 de maio, em Miranda do Corvo, pela Comunidade Intermunicipal (CIM) da Região de Coimbra vai permitir o acesso a 19 experiências temáticas relacionadas com as invasões francesas (1807-1813).

PUBLICIDADE

Intitulada “Itinerário Napoleónicos na Região de Coimbra”, a nova ferramenta digital proporciona uma experiência de realidade aumentada para cada um dos 19 municípios da CIM e foi apresentada no Convento de Santa Maria de Semide para assinalar o Dia Europeu do Turismo.

“Esta é a história do povo, que às vezes fica esquecido nos manuais de história”, disse o presidente da CIM da Região de Coimbra, Emílio Torrão, frisando que a criação da ‘app’ “não faz a apologia” do imperador francês Napoleão Bonaparte (1769-1821), que ordenou as três invasões a Portugal durante a Guerra Peninsular, comandadas pelos generais Junot (1807), Soult (1809) e Massena (1810).

PUBLICIDADE

O presidente da Câmara de Montemor-o-Velho, no distrito de Coimbra, salientou que, ao longo de seis anos, “as comunidades resistiram e uniram-se” contra as forças invasoras, que saquearam, mataram e violaram as populações um pouco por todo o país.

“As pessoas não aprendem”, lamentou Emílio Torrão, para, numa referência explícita à atual invasão de territórios da Ucrânia por tropas da Federação Russa, decretada por Vladimir Putin em 24 de fevereiro de 2022, realçar que há quem “continue a dar importância aos Napoleões” do século XXI.

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE

publicidade

Na cerimónia, iniciada pelo presidente da Câmara Municipal de Miranda do Corvo, Miguel Baptista, o secretário executivo da CIM, Jorge Brito, explicou que a ‘app’ se enquadra na “necessária adequação a uma tendência real” do turismo ao nível da procura.

Esta iniciativa, que na componente política coloca a Região de Coimbra “em sintonia com a Estratégia Turismo 2027”, tem em conta que o setor “é extremamente importante para aquilo que é a economia portuguesa”, adiantou, frisando a necessidade de “contribuir para toda esta agenda da sustentabilidade” da atividade turística em Portugal.

A aposta nos “itinerários napoleónicos”, nos níveis regional, nacional e ibérico, acaba por “potenciar aquilo que é o mercado histórico” dos 19 municípios da rede, envolvendo os factos e o imaginário popular relacionados com o período da Guerra Peninsular (1808-1814), que opôs a França de Napoleão à aliança do Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda com Espanha e Portugal.

“Trabalhámos esses episódios e narrativas para os transformar num produto turístico”, sublinhou Jorge Brito, numa sessão em que também interveio um responsável da empresa que concebeu a aplicação, Miguel Martins.

Com esta realização, a CIM da Região de Coimbra, enquanto parceira nacional na Agenda Urbana para o Turismo Sustentável, associou-se ao Dia Europeu do Turismo, promovido pela Comissão Europeia.

As temáticas de realidade aumentada podem ser ativadas em totens informativos locais, sendo disponibilizadas através da ‘app’, desenvolvida no âmbito da iniciativa Marcos Históricos, Invasões Francesas, da candidatura Promoção dos Produtos Turísticos Integrados da Região de Coimbra, cofinanciada pela União Europeia ao abrigo do programa Centro 2020.

Related Images:

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE