Conecte-se connosco

Política

António Costa diz ter recebido “boas notícias” da Pfizer sobre preços e produção de vacinas

Publicado

em

O primeiro-ministro afirmou hoje que recebeu “boas notícias” do presidente executivo da Pfizer sobre a evolução da produção e distribuição das vacinas contra a covid-19, assim como sobre políticas de preços para os países em desenvolvimento.

Esta conversa foi divulgada por António Costa na sua conta oficial na rede social Twitter.

“Falei hoje com o presidente executivo da Pfizer, Albert Bourla, que me transmitiu boas notícias sobre a evolução da capacidade de produção e distribuição de vacinas e sobre a política de preços para países em desenvolvimento”, escreveu António Costa.

Na sua mensagem, o primeiro-ministro de Portugal, país que presidente ao Conselho da União Europeia até junho, reiterou ainda a sua ideia de estender o fornecimento de vacinas contra a covid-19 a todos os países do mundo.

“Só estaremos protegidos quando todos estivermos protegidos”, acrescentou.

No sábado, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, anunciou um novo contrato para comprar até 1,8 mil milhões de doses de vacinas contra a covid-19 da BioNTech-Pfizer, até 2023.

“A Comissão aprovou um contrato para 900 milhões de doses, mais 900 milhões opcionais, com a BioNTech e a Pfizer”, afirmou Von der Leyen, acrescentando que “outros contratos e outras tecnologias de vacinas virão”.

O contrato com os laboratórios alemão e americano, aliados na produção de vacinas anti-covid-19, prevê entregas a partir deste ano e até 2023.

O novo contrato, que tem o aval dos Estados-membros da União Europeia, implicará não só a produção das vacinas, mas também a garantia de que todos os componentes essenciais devem ser provenientes da UE.

No Porto, também no sábado, a presidente da Comissão Europeia referiu que 200 milhões de doses de vacinas anticovid-19 chegaram já à União Europeia (UE) e 160 milhões de europeus já receberem a primeira dose, levando a que a vacinação esteja “no bom caminho”.

“Atualizei os líderes sobre os bons progressos que temos com a nossa campanha de vacinação. Já entregámos mais de 200 milhões de doses ao povo europeu e, por isso, estamos no bom caminho para atingir o nosso objetivo de entregar doses suficientes até julho para vacinar 70% da população adulta europeia”, declarou Ursula von der Leyen.

Na segunda-feira, numa conferência de imprensa conjunta com o Presidente da Argentina, Alberto Fernandez, o primeiro-ministro português defendeu a tese de que a questão das patentes não resolve o problema do acesso às vacinas contra a covid-19 por parte dos países em desenvolvimento.

“É essencial assegurar o acesso universal das vacinas a todas as pessoas em todo o mundo e, para que aconteça, é necessário aumentar a capacidade de produção – e esse é o verdadeiro grande bloqueamento que existe. Em segundo lugar, tem de haver um mecanismo efetivo de partilha solidária das vacinas, como é o mecanismo Covax, que tem de ser dotado com o número de vacinas suficientes para assegurar a sua devida repartição”, declarou o primeiro-ministro, sintetizando a posição da União Europeia.

António Costa observou ainda que “a União Europeia é a única região democrática do mundo que exporta vacinas”.

“E não exporta pouco. Exporta cerca de metade daquilo que está a produzir”, acentuou.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade [video width="1280" height="1280" mp4="https://www.noticiasdecoimbra.pt/wp-content/uploads/2020/11/banner-NDC-radioboanova.mp4" loop="true" autoplay="true" preload="auto"][/video]
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com