Conecte-se connosco

Destaque

Algarve foi a região do país mais apoiada

Publicado

em

O ministro da Economia garantiu hoje que vai continuar a bater-se por uma “atenção especial” ao Algarve no âmbito da crise pandémica, mas salientou que esta é já a região que mais apoios recebeu proporcionalmente à sua dimensão económica.

“Acho que o Algarve já foi beneficiário de apoios importantes. Foi talvez a região que, em termos proporcionais à dimensão da sua economia, mais apoios recebeu neste último ano, mas continuo a pensar que precisamos de [lhe] continuar a dedicar atenção nos próximos tempos”, disse Pedro Siza Vieira durante uma audição regimental na Comissão de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação.

Segundo precisou o ministro, “no seu conjunto, as empresas algarvias já receberam a fundo perdido 233 milhões de euros nos vários setores de atividade e com os vários tipos de apoios”.

“Só no setor do turismo – precisou – entre apoios a fundo perdido e linhas de crédito, as empresas algarvias receberam 353 milhões de euros de financiamento”, avançou.

Ainda assim, o ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital disse continuar a defender “uma atenção especial ao Algarve, pela concentração setorial de atividade no setor do turismo”.

“Acho que precisamos, por um lado, de ajudar as empresas a digerirem o impacto desta crise. Precisamos de apoiar a requalificação da oferta e a capacidade de atrair eventos e turistas ao longo do ano, mas, finalmente, também de apoiar a diversificação da base económica”, sustentou.

Neste âmbito, considerou “muito importantes” as verbas adicionais conseguidas no Portugal 2030 para o Programa Operacional Regional do Algarve, assim como o direcionamento da “atenção especial em alguns setores no âmbito do PRR [Plano de Recuperação e Resiliência]”.

“Continuo a achar que o Algarve precisa de uma atenção especial e vou continuar a bater-me por isso”, assegurou Siza Vieira aos deputados.

Relativamente à situação particular do município algarvio de Portimão, que se manteve sujeito a restrições mais apertadas devido à incidência da covid-19, o governante confirmou que, “a pedido da presidente da câmara, o Ministério da Economia decidiu um reforço dos apoios às empresas de restauração” locais.

Segundo referiu, estes apoios adicionais aplicam-se às empresas de restauração “do município de Portimão e de outros municípios que venham a estar mais de uma quinzena com o nível de restrições que Portimão teve”.

“Portimão é um município com uma população muito significativa, onde os casos foram mais difíceis de conter, mas também tenho muito conforto pela circunstância de a ação decidida da câmara municipal ter permitido uma redução muito importante dos níveis de incidência da covid-19 no concelho e estou muito convencido que, já esta semana, Portimão poderá sair das regras de confinamento”, acrescentou o ministro.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade [video width="1280" height="1280" mp4="https://www.noticiasdecoimbra.pt/wp-content/uploads/2020/11/banner-NDC-radioboanova.mp4" loop="true" autoplay="true" preload="auto"][/video]
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com