Conecte-se connosco

Alexandre Amado com mais um ano para lutar por uma Académica de Causas

Publicado

em

A cerimónia de posse dos novos órgãos dirigentes da Associação Académica de Coimbra (AAC) fica marcada pela ausência de Zé Reis. O Founder e Chairman do magnifico Cantinho dos Reis não recebeu o convite? É possível! O nosso foi enviado ontem.  O que vale é que o queijo e a pinga, que o Comendador da academia costuma oferecer ao eleito para liderar a AAC, não se estraga. Até à Queima das Fitas ainda há muito jantar da Académica.

alexandre amado

Zé Reis não foi o único a não comparecer na importante cerimónia que decorreu na Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra. Onde não vimos nenhum representante da Câmara, Polícia, Bombeiros ou Diocese de Coimbra. Rui Figueiredo Marcos, de Direito, foi o único director de uma faculdade que esteve no evento. Os directores do Diário de Coimbra e de As Beiras também levam falta. O Presidente da AAC-OAF esteve presente, mas saiu antes do inicio do apronto. Rui Alarcão, como sempre, deu o exemplo, foi dos primeiros a chegar e dos últimos a sair da primeira fila onde apenas se sentaram mais 4 convidados especiais.

Falhou o protocolo académico ou os senhores de Coimbra deixaram de ligar à AAC?

Quem foi até ao Polo II da Universidade de Coimbra sabe que a posse dos novos dirigentes da AAC começou com “4 –  quartos de hora – 4” de atraso académico. 1 hora! Imagine que este atraso pouco académico acontecia num jogo de futebol ou num programa de televisão…

Neste vídeo do directo NDC pode ver quem é quem na AAC:

O vídeo do directo NDC com o presidente da AAC:

A intervenção do Reitor da Universidade de Coimbra no vídeo do directo NDC:

Alexandre Amado foi reeleito presidente da Associação Académica de Coimbra, com 59,3% dos votos, numas eleições que registaram uma abstenção de cerca de 60%.

Para estas eleições, votaram 7.964 estudantes, num universo de cerca de 20 mil, registando-se 1,61% de votos nulos e 2,84% de votos brancos.

Para Alexandre Amado, o próximo ano será “histórico para a AAC”, face à realização dos EUSA Games (Jogos Europeus Universitários) em Coimbra, para além de querer continuar a defender a visão da Académica para o ensino superior em Portugal.

Durante a campanha, o líder da AAC considerou que 2018 será um ano decisivo para o Governo assumir “verdadeiros processos de mudança”, defendendo que a associação que preside terá de lutar por uma revisão do Regime Jurídico das Instituições de Ensino Superior (RJIES) e pela abolição progressiva da propina.

Este ano, devido à revisão dos estatutos da AAC, as eleições para o Conselho Fiscal não se realizaram ao mesmo tempo que as eleições para a Assembleia Magna e Direção-Geral, sendo que esse ato eleitoral deve decorrer no início do segundo semestre do ano letivo.

Alexandre Amado, 24 anos, é um jovem conimbricense, estudante de Direito na Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra. Luta por “Uma Académica de Causas”. Vai ficar na história como um dos “presidentes da casa” que  de candidatou e venceu duas eleições.

Notícia em desenvolvimento

 

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com