Assinaturas NDC

Apoie a nossa missão. Assine o Notícias de Coimbra

Mais tarde

Partidos

Alexandra Leitão assume que vitória de Pedro Nuno Santos não é passeio no parque

Notícias de Coimbra com Lusa | 3 meses atrás em 18-11-2023

A ex-ministra Alexandra Leitão rejeitou este sábado, 18 de novembro, que a candidatura de Pedro Nuno Santos encare a sua candidatura à liderança do PS como um passeio no parque, rejeitando uma atitude de triunfalismo antes das eleições internas socialistas.

PUBLICIDADE

Alexandra Leitão, deputada socialista e coordenadora da moção de orientação política de Pedro Nuno Santos ao cargo de secretário-geral, transmitiu esta posição à entrada para a reunião da Comissão Nacional do PS.

PUBLICIDADE

Interrogada se a eventual vitória de Pedro Nuno Santos face ao dirigente socialista José Luís Carneiro pode ser encarada como um passeio no parque, a ex-ministra do PS rejeitou: “Nunca há campanhas que são passeio no parque”.

PUBLICIDADE

“Temos de respeitar muito, naturalmente, todos os adversários. E, a partir de 17 de dezembro, estaremos todos no mesmo barco”, disse, numa alusão às eleições diretas para o cargo de secretário-geral do PS, que deverão ser marcadas para os dias 15 e 16 dezembro.

Questionada sobre o facto de muitos socialistas ainda não terem optado em quem vão votar nas eleições diretas do PS, a coordenadora da moção do ex-ministro das Infraestruturas e da Habitação respondeu: “É natural que muitos socialistas ainda não tenham tomado posição, porque é sempre preciso olhar para os conteúdos antes de se tomar uma decisão”.

PUBLICIDADE

“Espero que a moção contribua para que mais pessoas decidam apoiar a candidatura de Pedro Nuno Santos”, acrescentou.

A Comissão Nacional do PS está reunida para formalizar as decisões de realizar o congresso em 06 e 07 de janeiro e as eleições diretas para o cargo de secretário-geral socialista em 15 e 16 de dezembro.

Esta reunião, que decorre no Parque das Nações, em Lisboa, foi aberta com uma intervenção do ainda líder socialista, António Costa, sobre a situação política nacional, mas desta vez, ao contrário do que aconteceu nas anteriores, sem a presença da comunicação social.

António Costa pediu a demissão das funções de primeiro-ministro no passado dia 07, ocasião em que também anunciou que não voltará a recandidatar-se a este cargo nas eleições legislativas antecipadas de 10 de março.

Para a sucessão de António Costa na liderança do PS, estão já no terreno duas candidaturas: a do ex-secretário-geral adjunto e atual ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro, e a do deputado socialista e ex-ministro Pedro Nuno Santos. O dirigente Daniel Adrião, que lidera uma sensibilidade minoritária neste partido desde 2016, também anunciou que se vai candidatar à liderança do PS.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da Comissão Organizadora do Congresso (COC), Pedro do Carmo, adiantou que as candidaturas ao cargo de secretário-geral do PS terão de ser entregues até 30 deste mês, com assinaturas de 200 proponentes militantes socialistas e acompanhadas de uma moção de orientação política.

Para as eleições diretas para o cargo de secretário-geral do PS dos dias 15 e 16 de dezembro, segundo o presidente da COC, podem votar cerca de 80 mil militantes socialistas, desde que tenham as respetivas quotas pagas (do primeiro semestre deste ano) até ao fim deste mês.

O próximo congresso do PS, que deverá realizar-se em Lisboa, vai ter 1.600 delegados eleitos e mais 1.100 com direito de inerência por serem titulares de cargos políticos autárquicos ou em órgãos nacionais desta força política.

Com eleições legislativas antecipadas marcadas para 10 de março, a Comissão Nacional do PS também deverá hoje tomar a decisão de adiar as eleições federativas e concelhias deste partido, que estavam previstas para o início de 2024.

Related Images:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com