Conecte-se connosco

Região

Águas do Centro Litoral consigna construção de ETAR de Cantanhede

Publicado

em

A Águas do Centro Litoral (AdCL) consignou hoje a construção da ETAR de Cantanhede, no distrito de Coimbra, orçada em cerca de nove milhões de euros (ME).

A obra “corresponde, de facto, a uma ambição de há vários anos de trabalho”, afirmou hoje o presidente do conselho de administração daquela empresa, Alexandre Tavares, à margem da assinatura da consignação da empreitada de conceção-construção da estação de tratamento de águas residuais (ETAR) de Cantanhede.

O empreendimento surge da necessidade de solucionar o saneamento nos municípios de Cantanhede e de Mira, no distrito de Coimbra, onde o extenso emissário que recebe os efluentes dos dois municípios, e é encaminhado para a ETAR de Ílhavo, começou a registar excesso de caudais, ocorrendo descargas.

Segundo Alexandre Tavares, este problema foi detetado em 2016, tendo sido procuradas formas para o resolver, sendo que em 2019 foi definido qual a opção a concretizar, a construção de uma nova estação de tratamento de águas residuais.

Após dois concursos públicos internacionais, em fevereiro e agosto de 2020, que não receberam propostas, a obra foi hoje consignada.

A obra foi o culminar de um processo “doloroso, penoso, difícil para todas as entidades envolvidas”, afirmou, na sua intervenção, a presidente da Câmara Municipal de Cantanhede, Helena Teodósio.

A nova ETAR, com um prazo de execução de 450 dias, que representa um investimento de cerca de nove milhões de euros, cofinanciada pelo Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR), vai ficar situada em Cochadas, na Tocha, e servirá 37 mil habitantes-equivalentes.

A infraestrutura servirá áreas do concelho de Cantanhede, que atualmente são abrangidas pelo subsistema Ria Sul-Aveiro e a zona de ampliação da cobertura “em baixa” desse município, nomeadamente as localidades de Febres, Ourentã, Pocariça, entre outras.

Além desta obra, a AdCL já tem em curso a empreitada “Aumento da capacidade das infraestruturas”, no valor de 3,7 milhões de euros (ME), cofinanciada por fundos comunitários.

Ambas as obras, no valor total de 12,8 milhões de euros, financiadas pelo Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR), têm como objetivo “reforçar do Sistema de Saneamento da Ria Sul-Aveiro e pretendem solucionar o saneamento nos municípios de Mira e Cantanhede”.

As duas empreitadas incluem a construção da ETAR de Cantanhede, de 1,2 quilómetros de emissários de saneamento e ainda o aumento de capacidade das 5 estações elevatórias existentes – Pocariça (CTI), EE Pisão (CT2), EE Catarinões (CT3), EE Taboeira (CT5) e EE Casal dos Netos (CT6)).

O presidente da Câmara Municipal de Mira, Raul Almeida, aproveitou a ocasião para lançar o repto à Agência Portuguesa do Ambiente (APA) para que os municípios sejam ressarcidos do “passivo ambiental” que têm tido ao longo destes últimos anos, com este problema.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com