Conecte-se connosco

Polícias

Agricultora com “poucos estudos” burlou mais de 50 pessoas em anúncios online

Publicado

em

Uma agricultora, de 33 anos, divorciada, foi detida pela Polícia Judiciária (PJ), através da Diretoria do Centro, pela presumível prática de vários crimes de burla qualificada. A mulher é suspeita de ter enganado pelo menos meia centena de pessoas em milhares de euros com anúncios online. 

A detida que, segundo fonte conhecedora do processo não terá mais do que a quarta classe ou o antigo 6º ano, anunciava em sites e redes sociais o arrendamento de imóveis, venda de diversos artigos, veículos e animais que não existiam. “Convencia as vítimas a pagar as quantias monetárias em causa, por transferência bancária, que não recebiam qualquer contrapartida”, refere a PJ de Coimbra em nota enviada ao NDC.

No âmbito da investigação, a Judiciária “apreendeu vários documentos e objetos usados na prática dos crimes”. Ao que o NDC apurou é visada em pelo menos 50 inquéritos, mas é provável que existam mais vítimas que não apresentaram queixa. As pessoas foram enganadas “em valor que ascende a dezenas de milhares de euros, no decurso dos anos de 2014 a 2021”, esclarece a PJ.

As autoridades detetaram lesados a nível nacional, alguns são residentes na área de intervenção da Diretoria do Centro da PJ que está a conduzir a investigação. A agricultora foi detida em Bornes, Macedo de Cavaleiros, no cumprimento de mandado de detenção emitido pelo Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Coimbra.

A detida foi presente às autoridades judiciárias competentes, ficando sujeita a obrigação de apresentação periódica diária no posto policial da sua área de residência e proibição de usar internet.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link