Conecte-se connosco

Coimbra

Adiada leitura de setença do madeireiro acusado de matar homem em Montemor-o-Velho

Publicado

em

O coletivo de juízes do Tribunal de Coimbra decidiu adiar a leitura de sentença que estava marcada para hoje de um madeireiro de 37 anos acusado de matar um homem em Tentúgal, Montemor-o-Velho, em 2017.

Segundo fonte do Tribunal de Coimbra, o adiamento deveu-se à vontade de o coletivo de juízes ouvir novamente uma das testemunhas associadas ao processo, para esclarecimento de dúvidas.

O arguido, preso preventivamente, é acusado de matar um homem por uma dívida de 80 euros, num negócio entre os dois, no qual a vítima, toxicodependente, terá acordado a venda de eucaliptos num terreno que já não lhe pertencia.

Segundo a acusação, o madeireiro ter-se-á deslocado até à casa da vítima a 10 de março de 2017, acompanhado por um jovem que trabalhava consigo, entrou na habitação sozinho, onde terá matado o homem com recurso a um objeto não identificado.

O Ministério Público salienta que o arguido terá tentado queimar o corpo, mas a resposta rápida dos bombeiros locais ao incêndio evitou que o cadáver fosse consumido pelas chamas.

No início do julgamento, o arguido negou ser o autor do homicídio, apontando para o jovem que trabalhava consigo como o presumível autor, referindo que este (que chegou a ser arguido) conhecia a vítima e vendia-lhe droga.

Ouvido pelo Tribunal, o jovem (e também a principal testemunha do processo) colocou o arguido na hora e no local do crime, mas as suas declarações motivaram várias questões e dúvidas.

Em nenhum momento, perguntou ao arguido o que ia fazer à casa da vítima às 04:30 ou o que aconteceu lá dentro e não esclareceu o porquê de o arguido levar uma testemunha para o sítio onde alegadamente iria cometer o crime.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link