Conecte-se connosco

Cidade

A ponte a pé

Publicado

em

O executivo da Câmara Municipal de Coimbra (CMC) vai analisar e votar, na reunião de quinta-feira, o projeto de execução da Ponte Pedonal de travessia do Mondego a montante da ponte Açude – ciclovia e caminhos de Fátima e Santiago.

açude ponte

O projeto de execução, que integra diversos projetos complementares de especialidade realizados pela CMC e Águas de Coimbra, prevê um custo total de 639.696 euros para a realização da obra.

O projeto, elaborado pela IteCons, prevê a construção de uma ponte de 165,6m de comprimento total, a que acresce um passadiço sobre a escada de peixe de 14m de comprimento e 2,4m de largura. A solução proposta passa por uma estrutura em vigas metálicas contínuas em treliça, suportadas por estruturas em consola apoiadas nos contrafortes de betão existentes. O tabuleiro será em chapa de aço nervurada, para que possa ser antiderrapante. A guarda lateral terá uma altura de 1,20m, de forma a dar segurança aos ciclistas, sendo reutilizada, parcialmente, a guarda existente. Na separação entre os tabuleiros rodoviário e pedonal/ciclável, será colocada uma guarda de segurança metálica tubular que impeça a invasão da zona pedonal por veículos automóveis.

O projeto integra outros estudos realizados pela CMC e pelas Águas de Coimbra. Um deles é referente à requalificação da zona dos encontros da ponte, nas margens direita e esquerda do rio Mondego, e tem como objetivo assegurar o prolongamento da ciclovia, requalificar as zonas pedonais e reduzir os conflitos de trânsito rodoviário existentes nos entroncamentos, devido à pouca visibilidade provocada pelos pilares do viaduto. Para este efeito, propõe-se a construção de duas rotundas que garantam, assim, a circulação em segurança para todas as direções.

Na margem direita, a rotunda a implantar dará acesso ao parque de estacionamento de apoio às instalações da APA (Agência Portuguesa do Ambiente) e a ciclovia será prolongada até à Rua Padre Estêvão Cabral (passagem de nível para peões existente na linha férrea) e, desta, até à Rua do Arnado. A laje de betão existente sobre a tomada de água para o canal de rega será pavimentada em calçadinha sendo transformada numa praça de contemplação do rio. Já na margem esquerda, prevê-se a recuperação da pérgula existente, ficando definida a ligação à futura ciclovia junto à margem do rio até à Av. de Conimbriga.

Relativamente ao projeto de iluminação pública, esse prevê a reformulação dessa rede na ponte e zonas adjacentes e o reforço da iluminação da ciclovia entre a ponte Açude, a Mata Nacional do Choupal e os campos do Bolão. Já o projeto da rede de drenagem de águas pluviais, elaborado pela empresa municipal Águas de Coimbra, contempla, também, a reposição das redes de água afetadas.

Refira-se, ainda, que a Agência Portuguesa do Ambiente e a empresa Águas do Centro Litoral já se pronunciaram favoravelmente.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com