Conecte-se connosco

Portugal

A freguesia mais pequena de Portugal tem 99 residentes!

Publicado

em

Paradela e Granjinha, no concelho de Tabuaço e distrito de Viseu, perdeu 45% da sua população nos últimos 10 anos e é a freguesia mais pequena de Portugal continental, com 99 habitantes, segundo os Censos de 2021.

Esta freguesia, que há 10 anos tinha 180 residentes, foi a que perdeu percentualmente mais população, segundo os resultados preliminares dos Censos de 2021, divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Longa, outra freguesia de Tabuaço, é a segunda freguesia com maior variação populacional no continente desde 2011: perdeu -43,5% da sua população e conta nos Censos de 2021 com 209 habitantes.

No distrito de Bragança estão localizadas três das 10 freguesias com maior variação populacional entre os dois Censos.

Em Vilares da Vilariça, em Alfândega da Fé, moram 132 pessoas, menos -38,9% do que em 2011, Vilar Seco (Vimioso) tem 116 habitantes, menos -35,9% do que há 10 anos, e Pereiros (Carrazeda de Ansiães) perdeu -35,7% dos seus residentes, tendo agora 151.

No distrito de Viana do Castelo, há duas freguesias neste grupo de freguesias com maior variação populacional negativa: Fiães (Melgaço) tem 146 habitantes, menos -38,9% em relação a 2011, e Senharei, em Arcos de Valdevez, perdeu -37,1% dos residentes, para os 163 atuais.

Entre as 10 freguesias com maior variação populacional negativa estão também Giões (Alcoutim, distrito de Faro), que perdeu -40,6% da população para 152 habitantes, Almofala e Escarigo (Figueira de Castelo Rodrigo, Guarda) que tem agora 180 residentes, -35,7% do que em 2011, e São João do Peso (Vila de Rei, Castelo Branco), que tem menos -35,3%, num total de 132 pessoas.

Além de Paradela e Granjinha, compõe a lista das 10 freguesias com menos habitantes do país, segundo os Censos de 2021, Granja, em Trancoso (Guarda), com 109 habitantes; Tourém (Montalegre, Vila Real), com 112 residentes; Trindade (concelho e distrito de Beja) e Vilar Seco (Vimioso, Bragança) com 116 residentes cada; Boalhosa, em Ponte de Lima (Viana do Castelo), e Desejosa (Tabuaço), ambas com 117; Piódão, em Arganil (Coimbra) e Travanca (Mogadouro, Bragança), com 120 e Pega (concelho e distrito da Guarda) com 121 pessoas.

No sentido contrário, Longueira/Almograve, em Odemira (Beja), foi a freguesia que ganhou percentualmente mais habitantes desde 2011, com uma variação de +72,4%, para 2.338 pessoas.

Rapoula do Coa (concelho do Sabugal e distrito da Guarda) é a freguesia com maior variação positiva que se segue, com um crescimento de +37,4%, para 268 habitantes.

Entre as freguesias que nestes Censos atingiram maior variação populacional positiva em relação à sua situação em 2011 estão quatro algarvias: a população de Conceição e Cabanas de Tavira, em Tavira, aumentou +36,2% para 3.431 residentes, Barão de São Miguel, em Vila do Bispo, cresceu +30,6% e tem 589 habitantes, Armação de Pêra, em Silves, cresceu +23,3% para 6.003 pessoas e Luz, em Lagos, tem 4.357 habitantes, mais +22,9% do que há 10 anos.

Nas primeiras 10 freguesias com variação positiva destacam-se também Feitosa, em Ponte de Lima (Viana do Castelo), que cresceu +37% e tem agora 1.867 habitantes; São Teotónio, em Odemira (Beja), com 8.694 habitantes, registou uma variação de +35% em relação a 2011; Carvoeira, em Mafra (Lisboa), tem mais +31,8%, perfazendo 2.840 habitantes; e Gualtar, em Braga, aumentou +27,7% e tem 6.749 residentes.

Das 10 freguesias com mais habitantes, em números absolutos, no continente, oito estão localizadas na Área Metropolitana de Lisboa (AML) e duas na Área Metropolitana do Porto (AMPorto) e a tendência geral foi de captação de mais habitantes.

Algueirão-Mem Martins, no concelho de Sintra, com 68.656 residentes, é a maior freguesia em termos populacionais, seguida das freguesias de Cascais e Estoril (64.300 habitantes), de Odivelas (concelho de Odivelas), com 59.662 pessoas, de São Domingos de Rana (Cascais), com 59.187, e da União de Freguesias de Oeiras e São Julião da Barra, Paço de Arcos e Caxias, com uma população de 58.137 pessoas e a única das mais populosas a registar uma variação populacional de -0,0% (zero).

Mafamude e Vilar do Paraíso, em Vila Nova de Gaia, no Porto, tem 52.911 residentes, São Sebastião, no concelho de Setúbal, tem 52.597, Queluz e Belas, em Sintra, 52.472, Rio Tinto, em Gondomar (AMPorto) 51.064, e em Corroios, no Seixal (Setúbal) vivem 50.860 pessoas.

Segundo os dados preliminares dos Censos, Portugal tem hoje 10.347.892 residentes, menos 214.286 (-2%) do que em 2011, dos quais 4.917.794 homens (48%) e 5.430.098 mulheres (52%).

O saldo migratório, apesar de positivo, não foi suficiente para inverter a quebra populacional, segundo o INE, que sublinha que, em termos censitários, a única década em que se verificou um decréscimo populacional foi entre 1960 e 1970.

O Algarve e a Área Metropolitana de Lisboa (AML) foram as únicas regiões que registaram um crescimento da população nos últimos 10 anos.

A fase de recolha dos Censos 2021 decorreu entre 05 de abril e 31 de maio e os dados referem-se à data do momento censitário, dia 19 de abril.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com