Conecte-se connosco

Coimbra

A Escola da Noite estreia “Cinzas”

Publicado

em

A Escola da Noite estreia na quinta-feira, em Coimbra, “Cinzas”, um espetáculo encenado por Rogério de Carvalho que reúne quatro peças do Nobel Harold Pinter e que retrata poder e opressão, tanto no drama individual como coletivo.

A nova criação da companhia de Coimbra junta quatro peças do dramaturgo inglês – “A Black and White”, “Língua da Montanha”, “A Nova Ordem Mundial” e “Cinza às Cinzas” -, onde se encontram histórias de opressão e exercício de poder, tanto num quadro de dramas individuais e íntimos como num cenário de massas.

A prisão, a pobreza ou a tortura entram dentro do espetáculo para falar de diferentes formas de violência, naquela que é a primeira abordagem da Escola da Noite aos trabalhos de Harold Pinter, autor politicamente muito ativo, tendo denunciado vários casos de abuso de poder, como a opressão dos curdos, a intervenção dos Estados Unidos no Haiti ou a intervenção militar no Iraque, em 2003.

No novo espetáculo da companhia, o cenário é simples e resume-se ao essencial para dar espaço à palavra, que se desenvolve num palco quase nu, deixando ao espetador a liberdade para criar “um imaginário” em torno dos textos de Harold Pinter, explicou aos jornalistas Rogério de Carvalho.

Para além de um trabalho de luz e de som que acaba por preencher o espetáculo, “há sempre um jogo corporal que acompanha a intensidade das falas”, onde se revela “uma organicidade no trabalho do ator”, sublinhou.

Para Rogério de Carvalho, esta é a quarta vez que trabalha os textos de Harold Pinter, um autor de que gosta particularmente pelo tipo de “textos densos” e que se desenvolvem “pela ação ou pela ausência da ação”, onde o imaginário e o real se cruzam e onde a “palavra tem uma importância muito grande”.

Neste espetáculo, tanto se encontra o “macrocosmo” como o “microcosmo”.

“Há os dramas individuais, que existem aqui com muita força, e depois questões como movimentações de massas”, salientou o encenador, considerando que o espetáculo trabalha nessa relação entre os “fragmentos da vida real e os da História com H grande”.

Rogério de Carvalho, nascido em Angola em 1936, trabalha regularmente com a Companhia de Teatro de Almada e com o Teatro Griot, e esteve ligado à fundação da Escola da Noite, tendo sido convidado para dirigir “O Triunfo do Amor”, de Marivaux, no ano de criação da companhia de Coimbra.

“É com emoção e uma alegria redobrada que a companhia volta a trabalhar com um dos encenadores que mais admira e que mais influenciou e marca o discurso artístico deste coletivo”, sublinha a Escola da Noite, em nota de imprensa.

“Cinzas” é interpretado por Igor Lebreaud, Maria João Robalo, Miguel Magalhães, Ricardo Kalash e Sofia Lobo, sendo recomendado para maiores de 16 anos.

O espetáculo estreia-se no Teatro da Cerca de São Bernardo e aí vai estar até 10 de junho, de quarta-feira a domingo. Os bilhetes custam entre 5 e 10 euros.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade