Conecte-se connosco

Coimbra

Falta de funcionários no Jardim de Infância de Ceira “põe em causa bem-estar das crianças”

Publicado

em

O Jardim de Infância de Ceira tem apenas duas professoras para duas turmas de 25 alunos. As duas têm mais de 60 anos e, por isso, têm um horário reduzido. O número de assistentes operacionais também é reduzido, o que leva a que os alunos não tenham a atenção necessária. 

Segundo declarações de uma pessoa ligada à instituição, atualmente estão três funcionárias de baixa médica e, durante um dia da semana passada, os 50 alunos “chegaram a estar sob a supervisão de apenas uma assistente”.

A mesma pessoa adianta que no Jardim de Infância existem várias crianças com necessidades educativas especiais e que precisam de cuidados redobrados. “Um menino com necessidades especiais chegou a casa com a fralda num estado lastimável. Uma menina apareceu esmurrada e a mãe ainda não conseguiu saber o que se passou. Há ainda uma outra criança que tem de ser alimentada através de uma sonda e com a falta de assistentes operacionais é muito complicado. O bem-estar das crianças não está assegurado”. 

Segundo o Notícias de Coimbra conseguiu apurar, já foram efetuados dois requerimentos a solicitar mais assistentes operacionais.

Contactada pelo NDC, a Câmara Municipal de Coimbra remeteu a resposta para as declarações feitas pela vereadora Ana Cortez Vaz na Reunião de Câmara de dia 19 de setembro.

A vereadora referiu que o Município está descontente e que já o demonstrou à Associação Nacional de Municípios Portugueses. Ana Cortez Vaz realçou que “um dos maiores problemas é a falta de assistentes operacionais, sobretudo no que às escolas com alunos com necessidades especiais diz respeito”. Acrescentou ainda que “com o elevado número de alunos em turmas do ensino regular, cujo perfil de funcionalidade apresenta acentuadas limitações no domínio cognitivo, associadas também a limitações no domínio motor, sensorial ou comportamental, e que necessitam de cuidados de saúde especiais ou de suporte adicional para participação nos contextos sociais e de aprendizagem, o Município de Coimbra considera que os rácios estipulados pelo Ministério da Educação não se adequam às escolas de hoje em dia”.

O NDC tentou contactar o Agrupamento de Escolas Coimbra Sul, do qual o Jardim de Infância faz parte, sem sucesso. 

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade