Mundo

13 mortos nas inundações causadas pelo rebentamento da barragem ucraniana

Notícias de Coimbra com Lusa | 1 ano atrás em 09-06-2023

 As inundações no sul da Ucrânia causadas pelo rebentamento da barragem de Kakhovka terão provocado já 13 mortos, segundo informações divulgadas hoje pelas autoridades ucranianas e russas.

PUBLICIDADE

O ministro do Interior ucraniano, Igor Klymenko, anunciou a morte de cinco pessoas na parte da região de Kherson controlada pela Ucrânia, enquanto o chefe da zona ocupada pela Rússia, Vladimir Saldo, reportou oito mortos.

Tanto Klymenko como Saldo anunciaram os balanços provisórios das inundações nas respetivas contas na rede social Telegram, segundo a agência francesa AFP.

PUBLICIDADE

O ministro ucraniano disse também que 13 pessoas foram dadas como desaparecidas e que 48 localidades estão inundadas, incluindo 14 em áreas sob ocupação russa.

Desde o rebentamento da barragem, na terça-feira, as autoridades ucranianas retiraram 2.400 pessoas das áreas afetadas pelas inundações, segundo Klymenko.

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE

publicidade

O responsável pela parte da região de Kherson sob ocupação russa disse que mais de 22.700 casas em 17 localidades estavam inundadas.

“De acordo com as previsões, a subida das águas pode durar mais 10 dias”, afirmou.

Saldo disse que 5.800 pessoas foram retiradas desde terça-feira, das áreas inundadas sob ocupação russa, e quatro mil pessoas estão ameaçadas pela falta de água potável.

Acusou ainda o exército ucraniano de bombardear a região, “o que está a dificultar o trabalho das equipas de salvamento”.

A Rússia bombardeou a cidade de Kherson e a parte da região sob controlo ucraniano, segundo jornalistas da AFP presentes no local.

A Ucrânia e a Rússia acusam-se mutuamente da destruição da barragem de Kakhovka, construída no rio Dniepre na década de 1950.

A barragem foi capturada pelas forças russas pouco depois de terem invadido a Ucrânia, em 24 de fevereiro de 2022.

Posteriormente, a Ucrânia recuperou a cidade de Kherson, na margem direita do Dniepre, mas a sul, na margem esquerda do rio, o controlo continua nas mãos das tropas russas.

A Ucrânia acusou as forças russas de terem destruído a barragem para travar uma contraofensiva e a Rússia atribuiu o incidente a bombardeamentos ucranianos.

Nenhuma fonte independente conseguiu ainda dizer o que causou o rebentamento da barragem, que se encontra na zona ocupada pela Rússia.

O Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, que visitou a região de Kherson na quinta-feira, afirmou hoje que centenas de milhares de pessoas estão a ter dificuldade em aceder a água potável.

“Para centenas de milhares de pessoas em muitas cidades e aldeias, o acesso à água potável está seriamente dificultado”, lamentou Zelensky, também no Telegram, citado pela AFP.

Related Images:

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE