Conecte-se connosco

Mundo

Três pessoas morrem atropeladas por comboio em França perto da fronteira com Espanha

Publicado

em

Três migrantes, presumivelmente todos de nacionalidade argelina, morreram hoje atropelados por um comboio no sudoeste de França, perto da fronteira com Espanha, indicaram várias fontes locais, citadas pelas agências internacionais.

No mesmo incidente, um quarto homem, possivelmente também oriundo da Argélia, sofreu lesões graves nos membros inferiores, no abdómen e na zona pélvica.

Em declarações à comunicação social, o procurador-geral de Bayonne (sudoeste de França), Jérôme Bourrier, confirmou que o migrante ferido não corria perigo de vida e que iria ser submetido, ainda esta terça-feira, a uma intervenção cirúrgica.

De acordo com as fontes judiciais locais e a empresa ferroviária francesa (SNCF), os quatro homens encontravam-se aparentemente a dormir na linha férrea, junto à estação de Saint-Jean-de-Luz, que liga a localidade de Hendaye, na fronteira entre França e Espanha, e a cidade de Bordéus.

Os homens foram colhidos pelo primeiro comboio da manhã, por volta das 05:00 locais (04:00 em Lisboa).

A travagem de emergência “não conseguiu evitar o impacto” com as vítimas, de idades compreendidas entre os 21 e os 40 anos, acrescentou o procurador.

“Estavam deitados sem dúvida para descansar, pois o último comboio [do dia anterior] partia por volta das 22:30 locais (21:30 em Lisboa)”, prosseguiu o mesmo representante.

Apenas um dos migrantes está neste momento identificado, segundo indicou Jérôme Bourrier, precisando tratar-se de um homem de 21 anos que tinha recebido recentemente uma ordem de expulsão por parte das autoridades espanholas.

Dois outros tinham documentos que também sugerem a mesma situação, mas, de acordo com o procurador-geral de Bayonne, as autoridades ainda estão a recolher informações e a tentar confirmar as identidades.

“Uma das vítimas já era conhecida da polícia”, afirmou, por sua vez, o presidente da câmara de Ciboure (pequena cidade com 6.500 habitantes localizada perto de Saint-Jean-de-Luz), Eneko Aldana-Douat, sugerindo implicitamente que os migrantes em questão já estavam em território francês há algum tempo.

Um inquérito conduzido pela polícia de Saint-Jean-de-Luz e pela polícia judiciária de Bayonne foi, entretanto, aberto para investigar as circunstâncias do acidente.

Espanha, a par da Grécia, Itália, Malta ou Chipre, é um dos países da “linha da frente” ao nível das chegadas de migrantes irregulares à Europa.

Nos primeiros sete meses deste ano, o país contabilizou 16.586 entradas irregulares (por via terrestre e por via marítima), um aumento de quase 50% em comparação ao mesmo período do ano passado, de acordo com os últimos dados do Ministério do Interior espanhol.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade